UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Proposta de julho de 2012

Os impactos da Rio+20 sobre a qualidade de vida do planeta

A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, marcou os vinte anos de realização da Rio 92 (Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento). Durante o evento, ocorrido no mês de junho, líderes mundiais discutiram como garantir o desenvolvimento sustentável do planeta. A conferência, porém, foi cercada por protestos e polêmicas. Muitos criticaram a inconsistência dos acordos firmados durante as reuniões, já que vários países, preocupados com a atual crise econômica mundial, esquivaram-se dos compromissos. Diante dessas questões, queremos saber sua opinião sobre essa conferência: que importância teve esse evento para o Brasil e para o mundo? Que metas positivas foram definidas nessa conferência para os próximos anos? Que outros compromissos os países deveriam ter firmado para realmente melhorar a qualidade de vida no planeta? Leia os textos de apoio e elabore uma dissertação argumentativa de até 30 linhas sobre o seguinte tema: Os impactos da Rio+20 sobre a qualidade de vida do planeta.

Leia as redações avaliadas

Elabore uma dissertação considerando as ideias a seguir:

EUA não podem “matar” compromissos, segundo chinês

Os Estados Unidos e demais países ricos não podem usar a crise econômica para "fugir de compromissos" de ajuda aos pobres assumidos durante e depois da Eco-92, disse à Folha La Yifan, chefe da equipe de negociadores chineses na Rio+20.

(...) Ele se referiu, "em particular", ao princípio das "responsabilidades comuns, mas diferenciadas", pelo qual os ricos devem pagar a maior parte dos custos da transição para o desenvolvimento sustentável, devido a seu passivo de consumo excessivo e destruição ambiental.

(...) O negociador disse que, "em nosso benefício e no das próximas gerações", Pequim sabe que não poderá dar ao 1,3 bilhão de chineses os padrões de consumo dos ricos.

"Toda pessoa, seja chinês, brasileiro ou indiano, tem direito de desfrutar de uma vida melhor. No entanto, estamos cientes de que devemos tomar o caminho do desenvolvimento sustentável. Cabe aos países desenvolvidos dar um bom exemplo, mudando seus padrões, em vez de pressionar os brasileiros, os indianos, dizendo que não devem gozar a vida que eles desfrutam."

[Folha de S.Paulo, 17 de junho de 2012]
 

  • Participante da "Kari Oca", evento paralelo à Rio + 20 que reuniu índios de várias regiões do Brasil



“A Rio+20 vai ser importante de qualquer forma”

Em 1992, Celso Lafer era ministro das Relações Exteriores e acompanhou de perto os preparativos para a Cúpula da Terra, a Rio 92, sediada no Brasil. Hoje, fora do governo federal e como Presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), Lafer avalia o clima que precede a Rio+20.

Época: A Rio+20 acontecerá como um marco dos 20 anos que se passaram desde a Rio 92. Qual a diferença entre esses dois momentos?

Celso Lafer: (...) A Rio 92 inaugurou e consagrou o conceito do desenvolvimento sustentável. Agora, nosso momento econômico e político está difícil e é desfavorável às negociações. Os países têm preocupações de curto prazo, como as eleições dos Estados Unidos e a crise econômica na Europa. A conferência trata de problemas de longo prazo. No Brasil, a Rio+20 até tem ganhado atenção, mas é um trabalho menos significativo do que o feito em 1992. O governo tem suas dificuldades de governabilidade, as CPIs e o Código Florestal, por exemplo.

Época: Vale a pena fazer a Rio+20, gastar milhões de reais, organizar toda a logística para receber milhares de pessoas aqui se talvez nada aconteça?

Lafer: Vale. O Brasil tem uma presença internacional mais significativa hoje do que tinha há 20 anos. Nenhum dos grandes temas do meio ambiente, como emissões de carbono e biodiversidade pode ser equacionado no mundo sem o Brasil. E o encontro entre os chefes de estado vai ser importante de qualquer forma, nem que seja para criar uma atmosfera para firmar acordos no futuro.

[Revista Época, 22/05/2012]
 

20 anos da Rio-92 comemorados

(...) Antes da Rio-92 a sustentabilidade era assunto restrito a ambientalistas, ecólogos e alguns poucos líderes visionários de outros setores. O quadro atual é radicalmente diferente. Quando iríamos imaginar, por exemplo, que presidentes de grandes bancos, como o Bradesco e BNDES, gastariam cada vez mais tempo com temas relacionados à sustentabilidade? Quando imaginaríamos que a CNI reuniria em um evento da Rio+20 mais de 1100 líderes empresariais para apresentar propostas concretas para uma produção industrial realmente sustentável? O que era impensável há 20 anos, hoje se tornou rotina. A sustentabilidade entrou definitivamente no centro do processo de tomada de decisões – para ficar.

[Virgílio Viana, superintendente da Fundação Amazonas Sustentável, Metrô News, 21/06/2012]

Observações

Seu texto deve ser escrito na norma culta da língua portuguesa;

Deve ter uma estrutura dissertativa-argumentativa;

Não deve estar redigido sob a forma de poema (versos) ou narração;

A redação deve ter no mínimo 15 e no máximo 30 linhas escritas;

Não deixe de dar um titulo à sua redação.

Envie seu texto até 25 de julho de 2012.

Confira as redações avaliadas a partir de 1 de agosto de 2012.

Elaboração da proposta

Sueli de Britto Salles

Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Tendo como base as ideias apresentadas nos textos acima, os inscritos fizeram uma dissertação sobre o tema Os impactos da Rio+20 sobre a qualidade de vida do planeta

Leia as redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host