UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

7,5

A globalização em crise

A União Europeia é um bloco organizado politicamente, que começou a se configurar após a Segunda Guerra Mundial, com o objetivo de promover o fortalecimento econômico e político dos países membros. A adoção de uma moeda única, o Euro, foi uma medida tomada para atender a esses objetivos e foi aceita pela maioria dos países integrantes, formando a Zona do Euro.

É evidente que a união monetária de países com economias tão diferentes faz com que haja um grande desafio de manter a Zona do Euro forte o bastante para não se fragmentar, pois a crise que ameaça a União Europeia é global, e sua origem está no colapso imobiliário dos Estados Unidos, quando, para controlar a inflação, o país aumentou os impostos sobre os imóveis e os cidadãos que antes tinham crédito facilitado, agora já não podiam pagar seus empréstimos, o que provocou a quebra de bancos americanos, esse [americanos. Esse] problema afetou todo sistema financeiro mundial.

Através da globalização, há uma interdependência das economias mundiais e a União Europeia corresponde a mais de 30% do comércio mundial, segundo dados da Organização Mundial do Comércio, ou seja, as medidas de austeridade tomadas pelos membros da Zona do Euro, mais afetados pela crise, como corte de gastos, aumento de impostos e demissões em massa, diminuem o crescimento da economia e da taxa de importação e exportação, fato este que atinge diretamente o Brasil, responsável por uma grande porcentagem das exportações para a Europa, agora cautelosa quanto a gastos para tentar contornar a crise.

Portanto, não há saída fácil para acabar com a crise, as [crise. As] medidas tomadas até agora ampliam o endividamento das nações e afetam a população em escala mundial, isso [mundial. Isso] se reflete no pensamento de Karl Marx, que acreditava que o capitalismo sofreria uma crise, mas a sua ideia de que os trabalhadores venceriam os capitalistas parece positiva demais, já que as rebeliões populistas atuais soam [parecem] mais de desespero que de luta por mudanças.

Comentário geral

Análise crítica, conseguindo traçar relações lógicas entre diferentes acontecimentos atuais, além de fazer uma boa referência a Karl Marx no final.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: há uma boa apresentação de informações, mas não há tese. A introdução da dissertação argumentativa deve trazer essa informação.

2) Quarto parágrafo: a) o acúmulo de dados em frase única prejudica a clareza das ideias. Ver sugestão feita para pontuação; b) o autor concluiu o texto, mas não apresentou proposta.

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.2,0
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.1,5
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.2,0
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.1,5
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.0,5
Total 7,5

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host