UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Proposta de março de 2009

O aborto deve ou não deve ser legalizado? Por quê?

Há muitos anos, as nações discutem questões científicas, éticas, morais e religiosas que envolvem o aborto. Ele é legalizado e feito de forma segura em vários países, mas é ilegal e visto como grave crime em outros. Muitas mulheres (de todas as classe sociais e religiões) já interromperam uma gravidez indesejada, com ou sem ajuda médica, com ou sem respaldo legal. Uma das principais discussões é se a legalização do aborto diminuiria uma gravíssima questão de saúde pública: as complicações pós-aborto, que são a terceira causa de morte entre mulheres em idade fértil. O que você acha? Por razões médicas ou por escolha pessoal da mulher, o aborto deve ou não ser legalizado?

Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

9.0

A legalização do aborto a favor de melhorias na saúde pública

A política da legalização do aborto envolve problemas morais, religiosos e, sobretudo, de saúde pública. Complicações pós-aborto clandestino estão em terceiro lugar como as principais causas de mortes de mulheres férteis. Países como a URSS e o Japão mantêm políticas de legalização do aborto. No Brasil, o aborto é crime, exceto por mulheres que sofreram estupro ou em situações que coloquem a vida da mãe em risco. Entretanto, no país é registrado 200 mil abortos clandestinos por ano.

Grupos feministas que lutam pela liberdade da mulher e apresentam o aborto como opção da mãe. Em caminho contrário, com a quase possível liberação do aborto para fetos anencefálicos, houve um distanciamento do governo com a Cúpula da Igreja Católica brasileira. A Igreja é totalmente contra o aborto, independente de sua procedência ou conseqüência. Preocupação extremamente exagerada, ao levar em consideração o descaso com a população mundial que sobrevive em condições precárias, com poucas chances de vida.

O momento considerado geratriz da vida é a principal causa desta discussão. O médico brasileiro Drauzio Varella, em entrevista á Folha, mostrou-se á favor da legalização com prazo de execução estipulado, que seria de três meses, enquanto para médica Lílian Piñero, já exista contato do feto com o meio externo poucas horas após a fecundação. Esta divisão é debatida na sociedade médica, que ainda não pôde estabelecer um período exato.

Medidas como esta mudarão o rumo da ciência, pois envolve o início da geração humana, que reacenderá as disputas pelas pesquisas que envolvem as células-tronco. O aborto com total consentimento da mãe, realizado sob vigilância médica rigorosa e após procedimentos como o mencionado pelo Dr. Varella, deveria ser regularizado. A lei diminuirá as taxas de maus tratos á criança, aborto clandestino, além de estimular a utilização das células regenerativas, pesquisas revelam que as principais doenças que atingirão os homens no futuro serão as degenerativas.

Comentário geral

A redação é fluente e bem redigida. O texto mostra compreensão da proposta e trata o tema de forma abrangente, trazendo uma profusão de elementos para a discussão. A ampla gama de tópicos tratados, no entanto, deixa em segundo plano a argumentação em favor da legalização do aborto. Assinalamos no texto dificuldades de sintaxe, acentuação e uso de maiúsculas.

Aspectos pontuais

1) A antiga União Soviética englobava países que hoje são independentes, como a Rússia, o Cazaquistão, a Geórgia, o Uzbequistão e a Ucrânia, entre outros.

2) Há um problema de concordância no trecho assinalado em vermelho no fim do primeiro parágrafo: "são registrados 200 mil abortos clandestinos por ano". O mesmo ocorre no quarto parágrafo. Observe o trecho já corrigido: "Medidas como esta mudarão o rumo da ciência, pois envolvem o início (...)."

3) A forma adjetiva geratriz, no terceiro parágrafo, é feminina. O correto é usar a forma masculina gerador: "o momento considerado gerador da vida".

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.1.5
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.2.0
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.1.5
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos lingüísticos necessários para a construção da argumentação.2.0
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.2.0
Total 9.0

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host