UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

6,0

Eutanásia: quem decide a hora certa de morrer?

Quando vamos morrer não somos nós quem decide, não sabemos a hora e nem temos opção de escolha. Neste momento há milhares de pessoas doentes em todo o mundo, muitas delas gostariam de terminar logo com a dor e o sofrimento que as atormentam. Em meio a essa situação, não é só o doente que sofre, mas também os amigos e familiares.

A eutanásia poderia ser útil no Brasil caso fosse legalizada [legalizada, pois] ajudaria a muitas pessoas que esperam com medo e ansiosas a sua hora de morrer. Sem a certeza de que um dia irá [irão] se recuperar, a angústia e a tristeza tomam conta dessas pessoas, as deixando [deixando-as] com mais vontade de que sua vida tenha um fim. E a maioria delas já tem seu tempo de vida decretado, só precisam esperar para partir.

Essa maneira de morrer pode ser vista por muitos com maus olhos, mas cada um deveria sim decidir sua hora, pois quem melhor do que a própria pessoa para optar se ela quer ou não viver? Quando a mesma está consciente, deveria ter o direito de escolher o que ela deseja para sua vida, ser dada a ela opções.

Mas poderia haver uma exceção com relação a [à prática da] eutanásia: caso a pessoa esteja em coma ou [ou em] estado vegetativo, ninguém deve ter o direito de decidir por ela, se vai viver ou não. Pois nesses casos a pessoa não está apta para [o indivíduo não está apto a] decidir o que quer, e muitas vezes estão [está] lutando para sobreviver e retornar a [à] vida. E em alguns casos, há pessoas [enfermos] que se recuperam e depois de anos despertam do coma, com algum tempo, [e] voltam a ter uma vida normal.

Sabemos que a vida é a maior preciosidade que temos, e enquanto temos saúde devemos aproveitar cada minuto. Ninguém deve decidir o tempo de vida de outra pessoa, a não ser ela mesma, porque não sabemos o que o futuro pode estar reservando a ela. Pode ser que para uns a pessoa não tenha mais chances, mas ela pode estar lutando para sobreviver.
 

Comentário geral

Procure atentar à diferença entre tema e título. Apesar de contemplar aspectos pertinentes ao tema, o excesso de repetições, a ambiguidade, além das falhas na concordância e na regência, prejudicaram o nível da linguagem do texto.
 

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: Apresentação adequada da problematização referente ao tema.

2) Segundo parágrafo: a) a expressão que inicia o parágrafo ficou ambígua, pouco eficiente, pois pensar que a legalização da eutanásia seja capaz de ajudar um país, é bastante ingênuo; b) a argumentação deve pautar-se em provas e não apenas em concepções subjetivas do autor.

3) Terceiro parágrafo: a) A pessoa só pode escolher se, previamente, lhe forem dadas algumas alternativas; assim, a última idéia ficou repetitiva, sem função.

4) Quarto parágrafo: a) Atente para a repetição de vocábulos no parágrafo (pessoa, vida). Observe as sugestões feitas.

5) Quinto parágrafo: a) conclusão circular, um pouco repetitiva em relação ao que foi dito no desenvolvimento; b) novamente as repetições travaram a fluência do parágrafo.

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.1,0
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.1,5
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.1,5
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.1,0
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.1,0
Total 6,0

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host