UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Proposta de agosto de 2010

Juventude e alcoolismo: um problema social

As bebidas alcoólicas pertencem ao grupo das drogas lícitas mais consumidas no Brasil. O comportamento festivo do brasileiro sempre foi regado a muito álcool: caipirinha na praia, cerveja no futebol, coquetel na balada. O problema é que os jovens estão começando a beber cada vez mais cedo. Uma pesquisa da Unifesp sobre o consumo de bebidas alcoólicas por estudantes de ensino médio reacendeu a discussão sobre o tema. Que razões levam o jovem ao consumo de álcool? Quais os problemas decorrentes disso? Por que a lei que proíbe a venda de bebidas a menores de idade não é cumprida? Qual a responsabilidade da família, da sociedade e do governo diante desse problema? Reflita sobre essas questões e elabore uma dissertação argumentativa com o tema: Juventude e alcoolismo: um problema social.

Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

6,0

Juventude e alcoolismo: um problema social

O excesso de consumo de álcool é um dos maiores problemas sociais da atualidade. O forte apelo ao consumo faz com que cada vez mais jovens comecem a beber desde cedo. Por que não há uma rígida fiscalização das propagandas comerciais e nos bares para que não se venda bebidas alcoólicas aos menores de idade? Por que muitos pais ainda são coniventes com a situação?

Os brasileiros consomem muita bebida alcoólica, principalmente, por influência das propagandas comerciais, seja na televisão, seja nos outdoors, que conseguem persuadir as pessoas a beber. Para isso, normalmente, elas associam a bebida a sinônimo[à imagem] de liberdade, de "status" na sociedade para quem bebe. Os menores de idade, ao vê-las com frequência, assim como os maiores, também se sentem[sentem-se] influenciados e passam, também, a ser consumidores.

Muitos bares são instalados próximos às instituições de ensino. É um atrativo para os estudantes que, após saírem de suas escolas, irão lá para comer e beber. Apesar de a lei 9.294/96 proibir a venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos, ela não é aplicada na prática. Não existe uma fiscalização rígida e eficaz. Aproveitando-se disso, a maioria dos bares libera a venda de bebidas para todos eles, pois esses vendedores de bebida acreditam na impunidade.

Muitos pais têm o hábito de saírem juntos para beber, seja em alguma festa, seja na praia, acompanhados dos filhos que, por estarem acostumados a ver seus pais ou parentes bebendo todos os dias, acabam, também, adquirindo esse hábito. Se, por um lado, a maioria dos pais não vê problema nenhum em relação a isso, ou seja, nunca imagina que um dia seus filhos podem ficar viciados na bebida, por outro lado, [outro] existem aqueles que se arrependem de não ter orientado seus filhos que, até hoje, [que] passam boa parte de suas vidas em clínicas de tratamento para se livrar do vício.

As campanhas publicitárias do Governo Federal sobre [para] conscientizar a sociedade brasileira dos males que a bebida alcoólica pode causar não são suficientes enquanto [não serão suficientes enquanto] não houver uma aplicação prática da lei, ou seja, punindo todos aqueles que a desrespeitam, para que isso sirva de exemplo às outras pessoas. Educar os jovens nas escolas sobre esse grave problema social, desde cedo, é fundamental para evitar que a bebida, no futuro, crie mais dependentes alcoólicos.

Comentário geral

Texto com poucos erros e bons comentários, mas faltou encadeamento entre os tópicos, o que comprometeu a unidade textual.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: que tipo de fiscalização de propagandas? Isso ficou muito vago, porque não se apresentou uma crítica quanto às ações fiscais antes.

2) Segundo parágrafo: nesse parágrafo, o autor retoma a questão da propaganda, mostrando como ela induz a sociedade (inclusive o menor de idade) ao consumo de álcool. Porém, apenas constatam-se as estratégias de valorização do produto, que não é denunciado como errado ou irregular, algo que merecesse uma fiscalização. Continua não havendo paralelo com o que foi exposto na introdução.

3) Terceiro parágrafo: o autor mudou o enfoque da propaganda para a venda de bebidas perto de escolas, mas não houve uma ligação entre esses parágrafos. Há uma lacuna entre os assuntos, ou seja, falta coesão.

4) Quarto parágrafo: a) mesmo problema, ou seja, falta ligação entre os parágrafos, que tratam, de modo isolado, enfoques diferentes do tema; b) a frase inicial precisa de reformulação, pois não fica claro junto de quem os pais saem para beber ("acompanhados dos filhos" aparece depois, o que propicia a leitura de que os pais bebem junto com alguém E acompanhados dos filhos).

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.1,5
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.1,5
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.1,5
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.0,5
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.1,0
Total 6,0

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host