UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Proposta de fevereiro de 2008

Leis e penas mais duras são a única solução para o trânsito brasileiro?

A Organização Mundial de Saúde já colocou o Brasil entre os países onde há mais mortes no trânsito em todo o mundo. De fato, os números impressionam, em especial nas rodovias: nos feriados de final de ano, foram 295 mortos nas estradas federais. No carnaval, só nas autopistas de São Paulo, morreram 37 pessoas e chegou a 881 o número de acidentes. Diante disso, você acha que mais rigor no Código de Trânsito Brasileiro é a única saída? Ou ainda é possível apostar em campanhas educativas e no bom senso dos motoristas?

Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

4,5

Leis de trânsito ou leis da educação humana?

A cada dia nos acostumamos a ouvir muitos casos de acidentes ou mortes no trânsito. Jornais, revistas e meios de comunicação eletrônicos dão ênfase a este tema como um mal que não terá fim. Assim como buscam soluções das mais diversas possíveis para tentar dar fim a algo que já é inerente na sociedade. E, por isso, não costumam ver que a resposta poderia estar em um tema: educação humana!

A educação é o pilar de uma sociedade que busca ter menos preocupações com dificuldades que se apresentam a cada momento. A correlação sempre será direta. Dessa forma, ter uma sociedade capaz de entender as leis de poderia mudar os fatos que acontecem no trânsito brasileiro. Fazer novas regras não traria nada de vantajoso se elas não forem compreendidas e absorvidas pela nossa sociedade.

Verificamos também que se cometem os mesmos erros no trânsito que em qualquer outra sociedade com a educação mais igualitária e com mais rigidez. Não é porque se tem um nível superior que não iremos cometer as mesmas falhas que pessoas com nível educacional inferior. E muito menos o inverso também.

Achar que só com a educação mudaria tudo de ruim no trânsito de uma nação, também não podemos aceitar. Assim, entender que uma lei existe e para quê ela existe é apenas o primeiro passo. Analogicamente, achar que, se roubássemos, estaremos cometendo um delito e que não é correto, é muito simples. Contudo, roubar é ruim, pois estaremos fazendo o mal a outra pessoa e entender que se fosse ao contrário não gostaríamos, é outra conversa.

Não podemos deixar de perceber que o que está sempre atuando é a educação em prol do ser humano e introgetar em nós para termos a exata noção do que é errado e porquê. E já estamos fazendo isso com as várias campanhas que nossos governantes têm proposto com campanhas educativas. Mas será que isto dará certo? Não sabemos, mas, pelo menos, é um começo.

Comentário geral


O texto propõe a educação como solução para o problema do trânsito em nosso país. Embora tenha um ponto de vista claro, o estudante apresenta inúmeras dificuldades para construir os argumentos e encontrar a expressão lingüística que lhes dê forma. Note-se como é difícil entender o que ele quer dizer no penúltimo parágrafo ao comparar as infrações de trânsito ao roubo.

Aspectos pontuais


1) Observe que a oração ressaltada em vermelho não tem autonomia sintática nem expressa um pensamento completo. A oração não apresenta sujeito e deixa no ar outra questão: o que seria "algo que já é inerente à sociedade"? Evidentemente, ela estaria ligada à oração anterior, não fosse o ponto final usado incorretamente.

2) Atenção ao erro de ortografia no verbo "introjetar", que significa "incorporar", "interiorizar".

3) Observe as duas últimas orações, na conclusão. O texto termina com uma pergunta e uma dúvida ("Mas será que isto dará certo? Não sabemos, mas, pelo menos, é um começo"). Espera-se que um texto argumentativo apresente um posicionamento mais claro diante de determinada questão, e não que expresse opiniões reticentes e dúvidas.

Competências avaliadas

Competência Nota
1. Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
2. Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
4. Demonstrar conhecimento dos mecanismos lingüísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
5. Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Total 4,5

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host