UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Proposta de setembro de 2009

Como você encara os cursos a distância e as universidades virtuais?

A chamada Educação a distância (Ead) é o processo de ensino-aprendizagem em que professores e alunos não precisam estar fisicamente juntos, pois se encontram conectados por tecnologias telemáticas, como a internet. Recursos de Educação a distância já são muito utilizados pelas escolas tradicionais. Aliás, o próprio Banco de Redações se fundamenta na interatividade entre os usuários do UOL e uma equipe de educadores. Desde o início desta década, têm se desenvolvido os cursos de graduação a distância, que o aluno conclui sem praticamente ir à universidade. Há quem veja a inovação com bons olhos. Há quem lhe seja contrário. Como você se posiciona nesse debate?

Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

2.5

O ensino é a distância, mas a verdadeira educação é a pessoa quem faz.

Sempre argumentei para minha família e amigos o quanto acho errada a expressão Educação a Distância [educação a (ou à) distância], uma vez que educação e aprendizagem, são duas coisas que acontecem dentro da pessoa, não há como serem realizadas a [ou à] distância[.] O que se pode fazer é "ensinar a [ou à] distância", por isso acho que a expresão [expressão] correta desta [dessa] modalidade de ensino seria: "Ensino a [ou à] Distância". [parágrafo] Quero lembrar que este [esse] tipo de ensino ocorre com todos nós, todos os dias, como por exemplo, quando lemos um livro para nos ensinar alguma coisa ou quando vemos um filme.

É claro, que a educação e a aprendizagem, embora aconteçam dentro do indivíduo, podem, e devem, ser mediadas através do mundo que o cerca, em especial, através de seu contato com outras pessoas, seja esse contato "cara a cara" ou "virtual". Mas é importante salientar que é o interesse das pessoas que conta quando se quer aprender, ou seja, não é um ensino a [ou à] distância que não irá ensinar direito,[;] o que ocorre é que é a pessoa que não buscará o saber. Desse modo também acontece nas aulas presencias, várias pessoas desitem [desistem], ou simplesmente vão passando "empurradas" pelos seus amigos e professores.

Realmente, acho um preconceito por parte das pessoas menosprezarem este tipo de modalidade de ensino, e quero aproveitar para mostar a minha satisfação e gratidão, perante a atitude do Deputado Professor Grando, que apresentou um projeto que pune e proíbe discriminação aos alunos de EAD, se desejarem podem verificar o conteúdo todo da lei no link http://www.alesc.sc.gov.br/proclegis/individual.php?id=PL./0122.0/2009.

Termino este breve texto com uma frase, que na minha opinião expressa o q o EAD tem a oferecer: "A principal meta da educação é criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe." (Jean Piaget)

Comentário geral

Um texto dissertativo não pode ser panfletário ou se retorcer para transformar-se em elogio ou cumprimentos. Assim, o autor perdeu a oportunidade de, sem se referir a ninguém, elogiar como positivo (era essa a proposta) o Ensino a distância apenas. Além disso, o que começou com ideias claras, foi perdendo a objetividade.

Aspectos pontuais

1) A obscuridade e a ambiguidade podem ser resolvidas quando relemos o que escrevemos. Ao fim do primeiro parágrafo a frase "para nos ensinar alguma coisa" ficou obscura. Sugestão: Quero lembrar que esse tipo de ensino ocorre com todos nós, todos os dias, como por exemplo, quando lemos um livro que nos ensina alguma coisa ou quando vemos um filme. Antes disso, no mesmo parágrafo, não há vírgula depois de "aprendizagem", pois não se separa o sujeito de seu verbo, o que é um erro grave pelas normas gramaticais.
Observação: há controvérsia entre os gramáticos quanto à existência da crase na expressão "a distância", como no título, primeiro e segundo parágrafos. Alguns a consideram inexistente; outros, facultativa.

2) É importante haver coerência entre "pessoas" no mesmo período. No segundo parágrafo, quando se fala "pessoas", deve-se usar "elas" e não "se". Sugestão: Mas é importante salientar que é o interesse das pessoas que conta quando elas querem aprender, ou seja...

3) Não se deve usar excesso de aspas quando o sentido das palavras for natural, denotativo, comum. Assim, no segundo parágrafo: ...ato com outras pessoas, seja esse contato cara a cara ou virtual.

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.1.0
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.1.0
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.0.5
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.0.0
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.0.0
Total 2.5

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host