UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

6,5

Por que prolongar a dor materna?

A legalização do aborto de anencéfalos pelo Supremo Tribunal Federal representa uma decisão humana e sábia para milhares de mulheres que terão sua dor amenizada.

O sonho de grande parte das mulheres é ser mãe, sentir um ser vivo no seu ventre e acompanhar o crescimento de uma criança. Tudo isso pode virar um pesadelo quando recebe [ela recebe] a notícia de que seu feto pode falecer a qualquer momento, pois ele não tem parte do cérebro e [cérebro, ou] que, caso sobreviva, é provável que seja por pouco tempo.

Somando ao desejo frustrado de ter um filho, há casos que [em que] o risco de vida da genitora aumenta drasticamente. Diante dessa situação, por que colocar a vida da genitora em risco? Se é fato que o feto/bebê não irá sobreviver, então por que prolongar a dor (física e psicológica) de uma mãe? A resposta é que algumas pessoas, principalmente as religiosas, são contra e não aceitam a este [esse] tipo de aborto.

A maioria das religiões defende fervorosamente a idéia [ideia] que a mulher não poderia cometer este [esse] tipo de aborto, pois isso seria um crime contra a vida, e só Deus tem o direito de dar e de tirar a vida de um ser humano. Quanta incoerência! Lutam para proibir o aborto e colocar a vida de uma pessoa em risco em defesa de um ser que não irá sobreviver e desenvolver-se. Não entendem que por razões, muitas delas desconhecidas, a vida de um ser humano nem sempre é possível. Será que não percebem que podem matar essa mãe? Que estão retirando o direito dela de tentar outra gravidez e provavelmente de ter uma criança que irá nascer e sobreviver?

Em vista dos argumentos apresentados, percebe-se que a decisão do Supremo Tribunal Federal foi humana, por sensibilizar-se e decidir a favor da [por defender a] vida mãe, já que o feto não iria sobreviver, e sábia, justamente por decidir corretamente um tema polêmico, cabendo à genitora decidir se deseja a interrupção da gravidez relativa ao seu feto anencéfalo e às religiões analisar, refletir e perceber que devem lutar pela vida, sendo a melhor opção, a da mãe e de seus prováveis futuros filhos, sendo que a do feto anencéfalo, infelizmente, não é possível.

Comentário geral

O conteúdo interessante e a boa argumentação valorizaram o texto. Há, porém, trechos confusos, com frases longas e ideias mal relacionadas. Também seria melhor dosar o tom subjetivo, tão presente no quarto parágrafo com as perguntas e a exclamação.

Aspectos pontuais

1) Segundo parágrafo: a falha na conexão das ideias atrapalhou um pouco a clareza do parágrafo.

2) Terceiro parágrafo: a) deve-se evitar a repetição próxima de palavras; b) as pessoas religiosas normalmente são contra o aborto de modo geral.

3) Quarto parágrafo: a) novamente o autor afirma que as religiões proíbem esse tipo de aborto, o que dá a impressão de que só esse é proibido e que outros tipos seriam aceitáveis. Essa incoerência está enfraquecendo a análise; b) o uso da exclamação deixou o comentário muito subjetivo, inadequado em dissertações; c) seria melhor expor as críticas em forma de afirmações, não em perguntas, como foi feito.

4) Quinto parágrafo: a) imprecisão vocabular: a decisão (sujeito da oração) não se sensibiliza nem decide (redundância); b) frase confusa, esticada, com muitas informações do parágrafo aglomeradas em um único período.

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.1,5
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.1,5
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.1,0
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.1,0
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.1,5
Total 6,5

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host