UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Proposta de janeiro de 2009

O preconceito racial está chegando ao fim?

No mundo todo, implantam-se e vigoram políticas mais efetivas contra a discriminação racial, que, cada vez mais, é punida com rigor. Será o fim do preconceito no mundo? O fato é que alguns negros passam a comandar empresas, outros são juízes, atletas de sucesso, grandes atores ou comunicadores. Em 2008, o salto foi maior: os norte-americanos elegeram Barack Obama para presidente da República. No Brasil, dizem que não existe preconceito, que somos uma sociedade multirracial e unida. Será mesmo? Obama, Lewis Hamilton, Naomi Campbell, Oprah Winfrey, o ministro Joaquim Barbosa, a atriz Taís Araújo revelam um mundo novo sem preconceitos? O que você acha: está acabando o preconceito aqui e no mundo?

Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

8.5

Preconceito racial: um sentimento sem justificativas

São muitos os fatos que comprovam a existência do preconceito racial que outrora existiu e ainda existe. Oficialmente, no Brasil, ele acabou com a abolição da escravidão que, conforme fatos históricos, era realizada somente para com os negros. Hoje resta o preconceito individual, ou seja, não é mais declarado de forma maciça, ou ordenado por um governador, é sentimento presente em uma minoria que ainda assim acaba por constranger e ferir os sentimentos dos negros. Esse sentimento, assim como a razão de cada cidadão, não pode ser arrancado e por isso não há, nem nunca haverá lei ou regra que consiga baní-lo. Muito mais do que isso, o respeito racial deve ser alcançado e extinguido não de forma autoritária, mas voluntariamente, dado de espontaneidade.

É bem verdade que o mesmo só chegará ao fim ao passo que cada ser perceba que não é válido, é um ato sem fundamentos e sem justificatificativas. É o mesmo que um texto dissertativo sem teses e bases sólidas. Há muitos negros juízes, professores, ocupando cargos lisonjeados, só conquistados devido ao mérito e à dedicação que todo e qualquer ser humano é capaz de alcançar.

Não se deve usar como justificativa o fato de ser negro para toda e qualquer agressão física ou moral, é claro que quando isso ocorrer o indivíduo se valerá da lei para que a correta punição seja aplicada, mas os exageros, que são comumente vinculados na mídia e,também aqueles que não são, acabam por exarcebar o tema e deixa-lo monótono e desinteressante.

Por tanto, nunca saberemos se o preconceito racial ou outro preconceito foi extinto, ou se está chegando ao fim, pois é um sentimento individual e pode ser guardado em silêncio. Saberemos apenas, que enquanto nuns existe o preconceito em outros há: determinação, bondade, racionalidade, carinho e amor.

Comentário geral

O autor desenvolve muito bem o tema proposto, apresentando um repertório cultural produtivo e defendendo de forma coerente um ponto de vista, com argumentos bem escolhidos e boa estrutura dissertativa. Sublinhamos no texto problemas de ortografia, acentuação e imprecisão vocabular.

Aspectos pontuais

1) No primeiro parágrafo, talvez seja produtivo esclarecer e aprofundar alguns termos utilizados. Na definição do dicionário Houaiss, preconceito é "qualquer opinião ou sentimento, quer favorável quer desfavorável, concebido sem exame crítico" ou "idéia, opinião ou sentimento desfavorável formado a priori, sem maior conhecimento, ponderação ou razão". Também podemos definir preconceito como "atitude, sentimento ou parecer insensato, especialmente de natureza hostil, assumido em consequência da generalização apressada de uma experiência pessoal ou imposta pelo meio; intolerância". Portanto podemos afirmar que a abolição acabou com a escravidão negra, porém não acabou com o preconceito contra os negros. É bom lembrar também que no Brasil os índios também foram escravizados e que a escravidão no meio rural ainda hoje é um problema que não foi resolvido.

2) Opinião é a "maneira de pensar, de ver, de julgar; asserção, afirmação que o espírito aceita ou rejeita" ou "julgamento pessoal (justo ou injusto, verdadeiro ou falso) que se tem sobre determinada questão; parecer, pensamento". Portanto cada um tem o direito a ter sua própria opinião respeitada. No entanto, o exame crítico de uma opinião preconceituosa certamente contribuirá para diminuir o preconceito.

3) No segundo parágrafo, é preciso explicitar a comparação entre a discriminação racial e um texto dissertativo mal fundamentado. Da forma em que está formulada, trata-se de uma comparação inconsistente.

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.1.5
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.2.0
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.1.5
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos lingüísticos necessários para a construção da argumentação.1.5
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.2.0
Total 8.5

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host