UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Proposta de fevereiro de 2010

É justo proibir o uso do celular na sala de aula?

Em muitos lugares do Brasil e do mundo já vigora a proibição do uso de celulares em sala de aula. Em outros, a ideia está em discussão. Conforme noticiou o UOL Educação, em janeiro de 2010, na rede municipal de ensino de Juiz de Fora (MG) não somente os celulares foram proibidos, como também os bonés. A situação com certeza é polêmica. Trata-se de mais um caso em que a esfera pública (o Estado) resolve invadir assuntos da esfera privada, como na restrição ao fumo em locais fechados? Os legisladores estariam se intrometendo em questões da vida individual do estudante que não lhes dizem respeito? Ou são os jovens que abusam e não conseguem compreender quanto o uso do celular, durante a aula, lhes é prejudicial? O que você pensa da proibição do celular em sala de aula? E do boné?

Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

5,0

Por que proibir?

É certo que o uso do celular atrapalha o desempenho do estudante, mas a que ponto isso é prejudicial? Os bonés também são condenados por muitos educadores, mas será que é realmente necessário [necessária] a proibição? Qual o prejuiso [prejuízo] que um aluno terá ao usar celulares, aparelhos eletrônicos, ou até mesmo um simples boné ou boina no ambiemte [ambiente] escolar?

A tecnologia trouxe uma maior facilidade de aprendizado. Hoje um simples aparelho celular oferece gravador de voz, o que pode ajudar o aluno a gravar uma aula para ser estudada, trouxe jogos que o ajudam a aliviar as tensões lhe proporcionando um momento de lazer nos intevarlos [intervalos] , câmeras, músicas, entre outro iténs [entre outros itens] que podem ajudar assim como podem atrapalhar.

Hoje pela facilidade que é usar um aparelho desses os alunos abusam dos seus beneficios, atrapalhando assim um outro colega com sua falta de compostura em certos lugares. Muitos alunos abusados, quando tem [têm] uma "necessidade", ficam entrando e saindo da sala para atender suas "importante chamadas", essas que não podem esperar para a [pela] hora do intervalo.

A discursão [discussão] é polêmica, pois a proibição generaliza os comportamentos de cada aluno, impedindo até aquele que realmente usam [usa] o celular na sala de aula, só em estrema [extrema] necessidade. E a não proibição mantém o comportamento de jovens mal educados e mimados, que não querem estudar e respeitar os direitos dos outro e usam seus briquedinho [brinquedinho] para se divertirem e atrapalhar [divertir e atrapalhar] o desempenho dos seus colegas.

A respeito do uso dos bonés, não vejo nem um motivo forte para tal proibição. Usar boné cabe a cada um, sentindo-se melhor com tal utencilho [utensílio] não vejo por que proibir. Penso que a solução do problema está na educação que cada um recebe em casa, educação essa que diz que estudar é importante e prioritário, deixando assim outras necessidades secundárias para atender ao estudo.

Comentário geral


A redação é regular. O argumento básico quanto ao celular é que o problema não está no uso, mas no abuso. No entanto, o autor não soube caracterizar com precisão como se daria esse abuso. A seguir, ele já muda o foco, afirmando que a proibição pode prejudicar também os que não abusam, mas que a não proibição estimula os abusados. Com isso, ele fica em cima do muro, sem dizer qual das opções lhe parece melhor. Quanto ao boné ele opina, mas não chega a demonstrar que não existem motivos fortes para a proibição. Limita-se a dizer que não as vê.

Aspectos pontuais


1) Terceiro parágrafo: a) O primeiro trecho é um exemplo da dificuldade de se expressar com precisão: não é propriamente dos "benefícios" que os alunos abusam, mas dos celulares. Além disso, o uso do celular, também, não é propriamente falta de compostura. b) O uso das aspas é incorreto, seria melhor dizer supostas necessidades e chamadas pretensamente importantes. Assim ficaria claro que o que o aluno abusado alega ser uma necessidade e uma chamada importante não o são de fato.

2) No sentido empregado, "discussão" é sinônimo de "polêmica", sendo a declaração feita na redação redundante ou tautológica.

3) Reescrevendo o trecho em vermelho no último parágrafo: "Usar boné é uma decisão pessoal. Não há por que proibir de usá-lo a alguém que goste".

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.1,0
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.1,0
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.1,0
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.1,0
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.1,0
Total 5,0

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host