UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Biografias

Cantora e atriz luso-brasileira

Carmen Miranda

9 de fevereiro de 1909, Marco de Canaveses (Portugal)
5 de agosto de 1955, Beverly Hills (EUA)

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

[creditofoto]

[creditofoto]

Carmen Miranda foi em sua época um dos maiores salários de Hollywood

Nascida em Portugal, Maria do Carmo Miranda da Cunha tornou-se brasileira por adoção, pois sua família mudou-se para o Rio de Janeiro quando ela tinha apenas 1 ano de idade.

Apesar da resistência dos pais, Carmen Miranda sempre desejou ingressar na carreira artística. Trabalhando desde os 14 anos, primeiro em uma loja de gravatas, depois em uma chapelaria, Carmen cantava em festas que aconteciam pela cidade.

Em 1929, graças ao apoio do compositor Josué de Barros, gravou seus primeiros discos: pelas gravadoras Brunswick e RCA Victor. O sucesso chegou em 1930, com a marchinha Pra você gostar de mim (ou "Taí"), de Joubert de Carvalho. Em 1933, realizava sua primeira turnê internacional, cantando na Argentina (Buenos Aires), para onde voltou no ano seguinte. Já era chamada de "a maior cantora brasileira" ou "a cantora do it".

Depois de estrear no filme "Alô, alô carnaval", foi contratada - juntamente com sua irmã, Aurora Miranda, também cantora - para fazer parte do elenco permanente do Cassino da Urca, o local de shows mais famoso na década de 1930.
 

Sucesso nos EUA

Foi nesse cassino que, em 1939, Carmen conheceu o empresário norte-americano Lee Shubert, que a levaria para os EUA, juntamente com o Bando da Lua (o grupo musical que a acompanhava em suas apresentações).

De maio de 1939 a 1953, Carmen Miranda atuou em inúmeros filmes de Hollywood, além de se apresentar em programas de rádio e de televisão, casas noturnas e cassinos, chegando inclusive a a fazer parte de um show na Casa Branca.

Casada, em 1947, com o norte-americano David Sebastian, Carmen Miranda era, desde o ano anterior, um dos maiores salários de Hollywood.

A decadência, contudo, parece ter começado com o casamento. Seu marido, que também era seu empresário, não conduziu adequadamente os negócios. Além disso, Carmen tornou-se alcoólatra e dependente de barbitúricos. De volta ao Brasil em 1954, submeteu-se a um tratamento de desintoxicação, mas com resultados apenas parcialmente positivos.

De volta aos EUA em abril de 1955, reiniciou as exaustivas turnês e, no início de agosto, apresentou-se no programa do comediante Jimmy Durante, quando teve um mal-estar. Nessa mesma noite, depois de cantar para amigos em sua residência e recolher-se, sofreu um ataque cardíaco fulminante.

O corpo de Carmen Miranda foi transladado para o Brasil. O cortejo fúnebre reuniu cerca de meio milhão de pessoas. No Aterro do Flamengo, na cidade do Rio de janeiro, o governo criou o Museu Carmen Miranda.

Entre as canções interpretadas por Carmen, algumas permanecem até hoje no imaginário popular: "Chica-chica-bum-chic", Isto é lá com Santo Antônio, O que é que a baiana tem?, "O tique-taque do meu coração" e "South american way".
 

Enciclopédia Mirador Internacional; Folha de S. Paulo

Compartilhe:

    Receba notícias

    Lição de Casa Dicionários

    Aulete

    Português

    Houaiss

    Português

    Michaelis


    Tradutor Babylon


    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host