Escritora inglesa

Emily Brontë

<p>30/07/1818, Thornton, Inglaterra<p></p>19/12/1848, Haworth, Inglaterra<p>​





Autor Rosana Cesar
Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação




  • wikimedia commons

Emily Jane Brontë, a autora do clássico inglês "O Morro dos Ventos Uivantes", nasceu aos 30 de julho de 1818 em Thornton, Yorkshire. Irmã das também escritoras Charlotte e Anne Brontë, foi a quinta dos seis filhos que tiveram Patrick Brontë e Mary Branwell.

Mudou-se com a família para Haworth em 1820, onde seu pai, um reverendo, passou a servir a comunidade como reitor e presidente da paróquia, local onde ela e os irmãos estudaram os clássicos da literatura e tiveram acesso a artigos contemporâneos publicados na imprensa. As crianças passaram a maior parte do seu tempo dentro da casa paroquial, lendo e compondo, ambiente este que fez o talento literário de Emily surgir.

Em 1821, a mãe de Emily Brontë morreu de câncer, e ela e suas irmãs foram enviadas pela rígida tia Branwell para Clergy Daughter's School, um colégio interno em Cowan Bridge, onde viveram em condições precárias. Depois de passarem fome, frio e sofrerem castigos constantes devido ao severo regime em que viviam, duas das irmãs de Emily, Maria e Elizabeth Brontë, morreram de tuberculose. Patrick Branwell então resolveu levar as filhas de volta para casa.

Na casa dos Brontë trabalhava Thabitha, uma empregada que costumava contar histórias às crianças e que mais tarde foi homenageada com a fiel personagem Nelly Dean, em "O Morro dos Ventos Uivantes", único romance de Emily Brontë. O mundo do faz de conta aumentou o interesse dos irmãos pela leitura, uma forma de entretenimento que fez nascerem terras fantásticas, criadas para suas personagens. Nessa época, Emily escreveu poemas e algumas histórias, porém poucos de seus trabalhos desse período sobreviveram.

Charlotte foi para Roe Head, onde, mais tarde, foi convidada para lecionar, levando sua irmã Emily consigo. Devido à timidez, Emily não se adaptou a Roe Head e voltou para casa. Seu irmão Branwell bebia muito e ela passava os dias solitariamente compondo seus poemas, que escondia por conta da sua introversão.

Em 1842, Emily e Charlotte foram para a Bélgica, onde aprenderam francês, alemão e literatura com o objetivo de montarem sua própria escola. A empreitada, no entanto, não obteve sucesso por ocasião da falta de alunos. Já de volta a Haworth, Charlotte descobriu os versos da irmã e teve a ideia juntar aos dela e aos de Anne para publicá-los sob os pseudônimos de Currer, Ellis e Acton Bell.

Em 1846, uma pequena editora aceitou publicar os poemas, porém as irmãs teriam de se responsabilizar pelos custos, que pagaram com a herança da tia Branwell, falecida pouco antes daquela ocasião. A despeito do elogio e da crítica, apenas dois exemplares foram vendidos, mas as irmãs continuaram a escrever, agora cada uma a sua narrativa. Charlotte publicou "Jane Eyre", que atingiu grande sucesso, e Emily, em 1847, publicou "O Morro dos Ventos Uivantes", que, devido ao clima tenso da narrativa, foi mal compreendido na época de seu lançamento. Posteriormente, a obra foi consagrada e passou a fazer parte do cânone da literatura inglesa.

A notável autora de "O Morro dos Ventos Uivantes", talvez a mais fechada e mais solitária das irmãs Brontë, morreu de tuberculose, aos 30 anos, em 19 de dezembro de 1848, mesmo ano da morte de seu irmão Branwell.

UOL Cursos Online

Todos os cursos