Dramaturgo norueguês

Henrik Ibsen

20/3/1828, Skien, Noruega<br> 23/5/1906, Cristiania (atual Oslo), Noruega​





Autor Da Página 3 Pedagogia & Comunicação




  • [creditofoto]

    Henrik Ibsen: obra promove estudo psicológico de personagens femininos

    Henrik Ibsen: obra promove estudo psicológico de personagens femininos

Henrik Ibsen, principal representante da literatura escandinava no século 20, dedicou sua vida ao teatro como diretor e autor. Ibsen era filho de um comerciante arruinado e, em 1844, foi para Grimstad, onde trabalhou como aprendiz de farmacêutico e estudou sozinho para entrar na faculdade de medicina. Ao fracassar no exame de admissão, abandonou a idéia para dedicar-se à literatura.

Em 1849, sob o pseudônimo de Brynjolf Bjarme, escreveu sua primeira peça, "Catilina", inspirada nas revoluções européias de 1848 e nos escritos do romano Cícero. No ano seguintes foi nomeado diretor do Teatro de Bergen e, em 1857, assumiu a direção do Teatro Norueguês de Cristiania (atual Oslo).

Casou-se com Suzannah Thoresen em 1858 e saiu do país em 1864, quando a Prússia invadiu a Noruega. Ibsen morou em diversas cidades européias, principalmente em Roma e Munique, até retornar a seu país, em 1891. Morreu em Cristiania, aos 78 anos.

Apelidado de pai do teatro moderno, criador do chamado "teatro de idéias", sua obra se caracteriza pelo estudo psicológico dos personagens (em especial os femininos), pela crítica à burguesia e ao capitalismo e pelo encontro do indivíduo com a sociedade.

Em 1863, fez sucesso com "A Matéria de que se Fazem Reis", ambientada na Noruega medieval e apresentada na Itália, onde escreveu outras três peças, entre elas: "Peer Gynt" (1865), uma crítica ao homem moderno através da trajetória de um aventureiro que abandona seus princípios morais em nome da fama; "Casa de Bonecas" (1879), sobre uma mulher que abandona o marido e os filhos para ser independente. Também fazem parte de sua obra "A Comédia do Amor" e "Os Pilares da Comunidade".

UOL Cursos Online

Todos os cursos