UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Biografias

Inventor norte-americano

Thomas Alva Edison

11/02/1847, Milan, Ohio (EUA
18/10/1931, West Orange, Nova Jersey (EUA)

[creditofoto]

[creditofoto]

A lâmpada elétrica é a invenção mais célebre de Thomas Edison

Atualizado em 14 de fevereiro de 2011, às 18h11

John Krusei, chefe das oficinas do laboratório de Menlo Park, em 1877, apostou com seu chefe uma caixa de charutos que aquilo não funcionaria. Para ele, Thomas Alva Edison só podia estar brincando quando disse que o tubo metálico com uma espécie de funil serviria para repetir quaisquer palavras ditas nele. Para provar, Edison girou o cilindro e cantou dentro do funil: "Maria tinha um carneirinho." A sua voz fez vibrar a membrana de pergaminho. Essa vibração comandou uma agulha que ia sulcando a superfície macia do estanho.

Em seguida, posto novamente para funcionar, o sulco do estanho vibrou a agulha e esta acionou a membrana de pergaminho que devolveu pelo funil: "Maria tinha um carneirinho." Assim, o ditafone recém-inventado deu a Edison uma caixa de charutos e outra patente. Ele registrou 1.093 delas, mas a maioria não era original, e sim, melhorias. Edison foi criticado por não compartilhar os seus créditos com os empregados.

O irlandês Samuel Edison, militante pela independência do Canadá, teve de fugir com a mulher, Nancy Elliot. Foi para a cidade de Milan, Ohio, onde nasceu Thomas a 11 de fevereiro de 1847. Na juventude, sem dinheiro, a inteligência ajudava Edison a arrumar e a perder empregos, pois não se conformava com a rotina. Queria inovar.

Durante o tempo passado como operador de telégrafo, ele criou um aparelho registrador de números e letras para mensagens telegráficas. Assim não teria de ouvir os sinais em código morse o tempo todo. Foi demitido, acusado de preguiça. Em 1869, vendeu o teletipo na Bolsa de Valores de Nova York por 40 mil dólares e os especuladores puderam ler as cotações mais rapidamente. Nas décadas seguintes, desenvolveu um meio de enviar duas e, depois, quatro mensagens simultâneas num mesmo cabo.

Da noite para o dia, ficou rico e abriu um laboratório de pesquisas que se tornou um precursor da tecnologia do século 20. Ao mesmo tempo, seu exemplo de empreendedor legou uma grande influência cultural sobre a nação. Sua maior invenção, porém, foi próprio laboratório criativo, onde uma coisa leva à outra. Ele acreditava que a experiência de lentas reelaborações da idéia e do aparelho sempre conduzia a resultados práticos decisivos.

O próprio Edison ficou admirado com fonógrafo. Por dez anos, o aparelho ficou de lado porque muita gente suspeitava da presença de algum ventríloquo escondido. Gradualmente, foram surgindo o gramofone e o disco sulcado que revolucionou a música. E esse desenvolvimento ajudou a orientar o aperfeiçoamento do telefone.

Em 1876, Menlo Park era uma cidade industrial, com oficinas, laboratórios e técnicos capacitados. Edison chegou a propor a meta de produzir uma novidade a cada dez dias. Por quatro anos, conseguiu uma criação a cada cinco dias.

Outros pesquisadores já haviam tentado, mas, em 1878, aos 31 anos, Edison decidiu obter luz a partir da energia elétrica. No ano seguinte, sua lâmpada brilhou por 48 horas contínuas e, nas festas do final de ano, uma rua inteira foi iluminada para demonstração pública.

Veja errata.

Compartilhe:

    Receba notícias

    Lição de Casa Dicionários

    Aulete

    Português

    Houaiss

    Português

    Michaelis


    Tradutor Babylon


    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host