UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

PORTUGUÊS > DICAS DE PORTUGUÊS

"Não" perde o hífen depois de reforma ortográfica

Por Thaís Nicoleti

"Funcionários com assento nos conselhos recebem adicional de salário. Não-funcionários recebem até R$ 12 mil pela participação."

É verdade que nem sempre era fácil perceber quando o advérbio de negação "não" atuava como prefixo, mas a poda radical que se fez nos hifens que o ligavam a substantivos ainda vai demorar a ser absorvida pelos usuários escolarizados da língua.

O advérbio, segundo sua definição tradicional, é uma palavra que modifica verbos, adjetivos e outros advérbios; não é, portanto, um modificador de substantivos. Assim, era fácil perceber que, diante de substantivos, o "não" assumia o valor dos prefixos de negação ("des-" ou "i-") e essa sua condição levava ao emprego do hífen como sinalização gráfica.

Havia ainda o caso de adjetivos que igualmente admitiam o prefixo "não" - com hífen por haver clareza quanto à sua condição de substituto de outros prefixos (não-governamental, por exemplo).

Agora, em busca da simplificação, a interpretação oficial do texto do Acordo Ortográfico determina a supressão do hífen que separava a palavra "não" de nomes em geral. Abaixo, o texto corrigido:

Funcionários com assento nos conselhos recebem adicional de salário. Não funcionários recebem até R$ 12 mil pela participação.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Pegadinha Gramatical Dicionários

    Michaelis


    Tradutor Babylon


    Banco de Redações

    Redações avaliadas por uma equipe especializada em correção de prova de vestibular e Enem

    Revisão Testes e Simulados Revistas e Sites

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host