UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

PORTUGUÊS > DICAS DE PORTUGUÊS

Nova ortografia - "Para", "para-brisa" e "paraquedas": fim do acento diferencial e aglutinação

Por Thaís Nicoleti

A forma verbal de terceira pessoa do singular do verbo "parar" recebia um acento agudo na sílaba tônica. Escrevíamos, portanto, "pára": "Manifestação pára avenida Paulista", "Ele nunca pára para pensar" etc.

Segundo o sistema antigo, entendia-se ser necessário distinguir a forma verbal da preposição homônima. Agora, em consonância com as novas normas ortográficas, esse acento deixa de ser empregado e o contexto se encarregará de desfazer as possíveis ambiguidades.

Consequência da supressão desse acento diferencial é a nova grafia de certos substantivos compostos, como "para-brisa", "para-raios", "para-choque" etc. Note-se que a forma "para" que integra esses compostos não é um prefixo, mas a flexão do verbo "parar". Não há, portanto, motivo para cogitar a eliminação do hífen dessas palavras, como já é regra em termos como "paradidático", "paraestatal" etc., nos quais "para-" é um prefixo.

Ocorre, é verdade, segundo o Novo Acordo Ortográfico, não só a eliminação do acento diferencial mas também a aglutinação dos termos "pára-quedas", "pára-quedista" e "pára-quedismo", que agora se escrevem "paraquedas", "paraquedista" e "paraquedismo".

A aglutinação dos elementos constitutivos de uma palavra ocorre quando os falantes do idioma perdem a sua percepção. Um exemplo conhecido pode ajudar a entender esse processo: a palavra "embora" é resultado da aglutinação da expressão "em boa hora" (daí dizermos que alguém "foi embora"). Feita a aglutinação, a tendência é que os elementos constitutivos da palavra se tornem cada vez menos perceptíveis.

O caso de "paraquedas" nada tem a ver com o fato de tratar-se a palavra de um substantivo - não é, afinal, a classe gramatical que define isso. Muito mais provável é que os seus derivados, "paraquedismo" (antes "pára-quedismo") e "paraquedista" (antes "pára-quedista") tenham sido os responsáveis pela sua aglutinação. Como o usuário da língua não reconhece termos como "quedismo" ou "quedista", sua tendência é aglutinar os termos "paraquedismo" e "paraquedista". "Paraquedas", o termo do qual se originam, acaba aglutinado também por analogia.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Pegadinha Gramatical Dicionários

    Michaelis


    Tradutor Babylon


    Banco de Redações

    Redações avaliadas por uma equipe especializada em correção de prova de vestibular e Enem

    Revisão Testes e Simulados Revistas e Sites

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host