Marte: O planeta vermelho é o único, além da Terra, que possui clima

Mariana Aprile, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

Desde os tempos remotos da história da humanidade, Marte agita a imaginação das pessoas. Para os povos antigos, o brilho avermelhado desse planeta era um símbolo celeste de sangue e, talvez por isso, ele foi ligado à ideia de guerra.

Os gregos antigos o chamavam Ares - que, segundo a mitologia desse povo, era o deus da guerra. O povo romano herdou muitas coisas da antiga cultura grega, inclusive os deuses. Ares ganhou dos romanos o nome Marte.

O planeta possui duas luas, as quais foram batizadas pelos astrônomos com os nomes dos filhos de Ares na mitologia grega, Phobos e Deimos.

 

Gelo marciano

Dentre os oito planetas do Sistema Solar, Marte ocupa a quarta posição, a partir do Sol. Sua cor avermelhada se deve ao solo rico em ferro. A superfície, cheia de crateras formadas por impactos de asteroides, apresenta diversas estrias, como se fossem antigos leitos de rios.

Por esse motivo acreditou-se, durante muito tempo, que havia água em Marte. E estudos da Nasa, a agência espacial norte-americana, indicaram, em 2004, que o planeta possuiu mares e confirmaram sinais da existência de água, no tempo em que as rochas ali estavam se formando.

Entretanto, Marte possui gelo em seus pólos, que não é feito de água, mas de gás carbônico - o "gelo seco" - que é abundante na atmosfera marciana. A temperatura de até 142 graus Celsius negativos congela esse gás e forma a neve carbônica.

No inverno, essa é a temperatura usual e faz com que o branco do gelo se expanda até quase alcançar o equador (a metade) de Marte. Já no verão marciano, as temperaturas sobem para, no máximo, 20 graus Celsius e a camada branca recua para os pólos.

Isso mesmo: Marte possui estações - ele é o único planeta, além da Terra em que o ano se divide em estações do ano - mas elas duram mais tempo que as daqui.

 

Anos mais longos

O ano terrestre tem 365 dias separados por 24 horas - exceto os anos bissextos, com 366 dias. Um ano em Marte tem 687 dias, o equivalente a quase dois anos na Terra. Já os dias marcianos têm 24 horas e 37 minutos, quase o mesmo número de horas dos dias aqui em nosso planeta.

Caso houvesse marcianos no planeta vermelho, como nos desenhos e filmes de ficção científica, eles fariam aniversário a cada um ano e 11 meses, aproximadamente, na contagem do tempo terrestre.

Essa diferença temporal deve-se aos movimentos de rotação e translação dos planetas. A rotação corresponde ao giro em torno do próprio eixo e dura um dia. O tempo que um planeta leva para dar uma volta ao redor do Sol corresponde a um ano, e o nome desse movimento é translação.

O vulcão mais alto do Sistema Solar
Com cerca de 27 km de altura, e 600 km de diâmetro, o maior vulcão do Sistema Solar está em Marte. Batizado de Monte Olimpo, ele faz o Monte Everest, a maior montanha da Terra com 8,84 km de altitude, parecer modesto.

A sudeste do Monte Olimpo, encontram-se outros vulcões imponentes - são eles o Monte Arsia com 9 km de altura, o Monte Pavoris com 7 km de altura - e se você for mais ao norte desse vulcão, encontrará o Monte Ascraeus que tem mais de 11 km de altura.

O Monte Arsia possui a maior caldeira - buraco por onde a lava é expelida - do Sistema Solar, com 110 km de diâmetro. Junto com o Pavoris e o Ascraeus, esses vulcões formam um grupo chamado de Montes Tharsis.

 

Tempestades de areia

Marte é o único planeta do Sistema Solar, além da Terra, que possui algo mais parecido com um clima. Não fosse por isso, não haveria estações marcianas. O que possibilita tal fato é a atmosfera, formada por 95% de gás carbônico. Os outros 5% correspondem a substâncias como o nitrogênio e o oxigênio.

Por vezes, o céu de Marte fica rosado graças aos ventos fortes carregam a poeira para o alto. Mas ao olhar esse fenômeno marciano aqui da Terra, observam-se manchas escuras espalhadas pelo planeta.

Antigamente, os astrônomos pensavam que tais manchas eram florestas ou outro tipo de vegetação, mas hoje sabe-se que isso não existe por lá.

As tempestades de areia no planeta vermelho possuem ventos que podem chegar a 150 km por hora. Elas duram semanas, ou meses, e podem tomar conta do planeta inteiro.

 

Vida marciana

Muitas hipóteses sobre a existência de vida em Marte foram estudadas, ao longo dos séculos, pelos cientistas. Nem formas de vida inteligentes, tampouco bactérias foram encontradas no planeta vermelho.

Entretanto, ainda há muito por descobrir. Talvez, condições vitais para o desenvolvimento de seres marcianos estejam se formando. Ou quem sabe, já houve algum tipo de vida em Marte - a ciência busca, incansável, por respostas.

Apesar de muitas vezes as perguntas em relação a Marte continuarem "no ar", as revelações fornecidas pelos cientistas nos mostram um mundo diferente e fantástico. O planeta vermelho continua a encantar a imaginação e a aguçar a curiosidade humana.

Mariana Aprile, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação é estudante de biologia na Universidade Presbiteriana Mackenzie e bolsista de Iniciação Científica do Mackpesquisa (PIBICK).pagina3@pagina3ped.com

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos