Músculos: Ossos, músculos, tendões e ligamentos movimentam o corpo

Maria Sílvia Abrão, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação
(Material atualizado em 11/11/2013, às 18h32)

A grande maioria dos animais se locomovem, em geral para capturar seu alimento, para acasalar ou para fugir de situações que coloquem suas vidas em risco. Com o ser humano não é diferente, embora, muitas vezes, realizemos movimentos mais complexos e por motivos muito mais variados. Vamos procurar entender como se realizam os movimentos do nosso corpo?

Você já brincou com marionetes? As marionetes são bonecos articulados ligados a fios pelos quais podemos movimentar as diferentes partes dos bonecos, reproduzindo os movimentos de um corpo. Se todas as partes da marionete fossem rígidas, soldadas umas às outras, o boneco não se movimentaria.

O nosso esqueleto funciona da mesma forma: dá estrutura ao corpo. Mas os ossos precisam estar livres para que nossas pernas, braços, cabeça, etc. possam se movimentar. O nosso esqueleto é formado por muitos ossos que se articulam uns com os outros, entrando em contato pelas juntas e unindo-se pelos ligamentos, o que lhes dá a possibilidade de movimento.

Existem em nossos corpos três tipos de músculos:

  • Os músculos dos membros, da cabeça, das paredes do tórax e do abdômen: músculo esquelético estriado de contração voluntária, que vulgarmente conhecemos como carne, que possui cor vermelha.
  • Os músculos das paredes do tubo digestivo, dos vasos sanguíneos, da bexiga: os músculos não estriados, de cor esbranquiçada, responsáveis pela nutrição - digestão, respiração, circulação, excreção - movimentando os órgãos internos independente da vontade do indivíduo. Estes recebem o nome de musculatura lisa.
  • O músculo estriado cardíaco, o miocárdio, de coloração vermelha e contração involuntária. Esta independe da vontade do indivíduo e é responsável pelo batimento cardíaco que toma parte da circulação, a qual é uma função de nutrição do corpo.

Feixes musculares

As fibras musculares são um agrupamento de células alongadas que, para formar os músculos, agrupam-se em feixes, os quais conhecemos como feixes musculares. Os músculos podem prender-se diretamente aos ossos ou fazê-lo por intermédio de tendões, um tecido branco fibroso.

Os músculos são órgãos contráteis e elásticos. Um músculo, quando estimulado por um agente exterior, pode se contrair e encurtar rapidamente, o que promove o movimento. Após a contração, ou distensão, o músculo retoma com lentidão a seu exato comprimento anterior, dispondo de uma elasticidade perfeita.

Para ocorrer uma contração muscular, os músculos recebem estímulos nervosos, por meio dos nervos conhecidos como nervos motores. Os nervos contêm muitas fibras nervosas, os neurônios (células nervosas).

Estímulos e respostas

A contração de um músculo pode apresentar diferentes graduações, dependendo da estimulação feita pelas fibras do feixe nervoso. Cada fibra nervosa estabelece contato com diversas células musculares, as quais estão reunidas em uma unidade motora (fibras musculares reunidas em grupo).

Com a estimulação do neurônio motor, essas fibras musculares ou se contraem totalmente ou não respondem, em um efeito tudo ou nada. Quanto mais fibras nervosas mandarem estímulos, maior será o número de fibras musculares estimuladas. Consequentemente, maior será a contração, até chegar à reposta máxima do músculo, o que ocorre quando todas as células musculares são estimuladas.

Além da contração descrita acima, os músculos esqueléticos apresentam uma outra espécie de encurtamento. Parte de suas fibras musculares estão sempre contraídas. Mesmo em repouso, estando o músculo distendido, ele estará um pouco contraído: esse é o tônus muscular.

Forma e volume dos músculos

Durante uma contração, o músculo muda de forma, mas mantém seu volume, ou seja, em uma contração não há variação do volume total, pois, se ele perde em comprimento, ganha em outras dimensões, como a largura. É o que se vê quando um homem levanta o braço para exibir seu bíceps (o "muque").

Vamos analisar melhor a questão, pensando no movimento realizado pelo nosso braço, ao segurar um livro pesado e levantá-lo à altura de nosso ombro para que possamos lê-lo. Quando seguramos o livro com o braço esticado e começamos a levantá-lo, o músculo que existe na parte superior interna de nosso braço (bíceps) encurta, permitindo que o antebraço se dobre, trazendo o livro para a região próxima ao seu rosto.

Nesse momento, o músculo que existe na parte superior posterior o seu braço (tríceps) se alonga, ficando mais fino. Assim os músculos funcionam aos pares, de modo oposto, enquanto um contrai o outro relaxa. Para que possamos esticar novamente o braço que havia levantado o livro, não basta o relaxamento do bíceps, é necessária a contração do tríceps. Assim o antebraço volta à posição inicial e o bíceps se estende.

Maria Sílvia Abrão, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação é bióloga, pós-graduada em fisiologia pela Universidade de São Paulo e professora de ciências da Escola Vera Cruz (Associação Universitária Interamericana).



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos