Gêneros textuais: Situação determina qual usar

Alfredina Nery, Especial para a Página 3 - Pedagogia e Comunicação

Piadas, anúncios, poemas, romance, carta de leitor, notícia, biografia, requerimento, editorial, palestra, receita... São muitos os gêneros de texto que circulam por aí. São as situações que definem qual utilizar.

O que podemos fazer quando queremos:

 

  • saber como chegar a um endereço desconhecido por nós? Consultar o "guia de ruas" da nossa cidade, ou perguntar a alguém que conhece o trajeto...
  • escolher um filme para ir assistir no cinema? Pesquisar no jornal ou pedir opinião a um amigo...
  • conversar com parentes que estão longe? Telefonar, mandar carta ou e-mail...
  • criar um clima de descontração com amigos? Contar piadas, conversar...
  • distrair uma criança? ler um conto de fadas, brincar de adivinhações...

    Em todas as situações acima, usamos diferentes gêneros de texto(a definição de texto, aliás, é um enunciado verbal que faz sentido em para alguém em determinada situação). Situações diversas, finalidades diversas, diferentes gêneros. Não importa qual o gênero, todo texto pode ser analisado sob três características:

     

  • o assunto: o que pode ser dito através daquele gênero;
  • o estilo: as palavras, expressões, frases selecionadas e o modo de organizá-las;
  • o formato: a estrutura em que cada agrupamento textual é apresentado.

     

    Gênero literário e não literário Leia o poema a seguir
  •  
  • Tributo a J.G.Rosa

    Passarinho parou de cantar.
    Essa é apenas uma informação.
    Passarinho desapareceu de cantar.
    Esse é um verso de J. G. Rosa.
    Desapareceu de cantar é uma graça verbal.
    Poesia é uma graça verbal.


    (Manuel de Barros. "Tratado das grandezas do ínfimo". Rio de Janeiro: Record, 2001)

    Você deve ter percebido que, no poema - um gênero textual -, o poeta do pantanal brasileiro, Manoel de Barros, distingue o verbo "parar" (cessar, acabar), como sendo "apenas uma informação" da expressão verbal "desapareceu de cantar" ou "uma graça verbal", que ele considera poesia.

    Pode-se dizer que o que distingue um texto não literário de um texto literário é o trabalho com a linguagem que este último apresenta. Nos gêneros literários há uma conexão interdependente entre "o que se diz" (o assunto/tema do texto) e o "como se diz" (a forma como o texto é dito).

    O texto literário (em prosa ou em verso) tem um trabalho muito maior com a linguagem, um modo singular e inventivo de o artista ver o mundo, expressando-o.

    Veja, por exemplo, a definição que o dicionário Houaiss dá para a palavra sabiá

  •  

  • SABIÁ, substantivo de dois gêneros - designação comum às aves passariformes, da família dos muscicapídeos, subfamília dos turdídeos, cosmopolitas, que possuem plumagem de colorido simples, geralmente marrom, cinza ou preta, com as partes inferiores lisas ou manchadas; tordo [São muito apreciados pela beleza do canto.]


  • Observe que a finalidade do verbete - outro gênero textual - é informar sobre o sabiá, dando uma definição do pássaro, e sua classificação gramatical.

    Tendo em mente o tema "sabiá", há vários tipos de texto possíveis: umanarração fictícia em que se contasse as aventuras de um sabiá, ou uma poesia que comentasse a beleza e a graça dessa ave. O dicionário, no entanto, oferece textos não literários, "secos", descritivos, em que a linguagem serve para ser exata, informar, e não florear.

    De maneira geral, podem-se distinguir assim os textos literário e não literário, ainda que, muitas vezes, as diferenças entre um e outro não sejam tão bem marcadas.
  • Alfredina Nery, Especial para a Página 3 - Pedagogia e Comunicação é professora universitária, consultora pedagógica e docente de cursos de formação continuada para professores na área de língua,linguagem e leitura.

    titulo-box Shopping UOL

    UOL Cursos Online

    Todos os cursos