Modernização (1): Transformação política e econômica

Renato Cancian, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação

O substantivo "modernização" e o adjetivo "moderno" entraram para o vocabulário popular como termos que denotam algo que faz parte do presente, ou seja, que é atual e muitas vezes considerado mais avançado e melhor.

Nas ciências sociais, porém, modernização é um conceito extremamente complexo e abrangente, porque engloba um enorme conjunto de transformações que se processam na estrutura econômica, social e política de uma nação.

O processo de modernização pode ocorrer de modo concomitante ou separadamente em cada uma das estruturas constitutivas do sistema social. A modernização é um processo contínuo, que até os dias atuais produz transformações nas sociedades contemporâneas.

Origem do conceito de modernização

O conceito de modernização é basicamente ocidental e eurocêntrico. A influência europeia ocidental é tão marcante que às vezes o termo ocidentalização é empregado como sinônimo de modernização. Isso se explica pelo fato de que a modernização serviu para identificar e designar transformações ocorridas nos sistemas políticos, econômicos e sociais de países europeus ocidentais, que depois de determinado período de tempo os tornaram diferenciados do período histórico precedente e do restante do mundo.

Não há uma data precisa nem mesmo eventos históricos considerados pontos de partida do processo de modernização, mas com frequência se aceita que as primeiras revoluções burguesas da história, bem como a Revolução Industrial tenham impulsionado o processo embrionário de modernização.

Modernização política

A definição de modernização política envolve basicamente três fatores: igualdade, capacidade e diferenciação. O processo de modernização política se completa quando esses três fatores estão presentes. A igualdade está vinculada à expansão do direito de voto e à participação política. Reflete mais propriamente a mudança do status dos indivíduos, que, de súditos, passam a ser reconhecidos e se reconhecem como cidadãos.

A capacidade se refere ao aumento progressivo do potencial do governo de estabelecer autoridade sobre os órgãos administrativos que desempenham funções públicas, além da aptidão de atender e controlar as demandas e exigências sociais.

A diferenciação, por outro lado, envolve maior especificidade funcional (ou seja, divisão de tarefas administrativas a partir do surgimento de órgãos burocráticos específicos) e maior integração entre todas as instituições administrativas que fazem parte do sistema político.

Modernização econômica

Um sistema econômico ingressa no processo de modernização à medida que se torna mais racional e eficiente. O critério sobre o qual repousa o fator de racionalidade e eficiência econômica é o da correspondência entre os meios utilizados em correlação com os fins que se pretende atingir. Desse modo, o desenvolvimento e crescimento econômico é o índice que recebe atenção para determinar o grau de modernização de determinado sistema produtivo.

A modernização econômica provoca mudanças profundas na sociedade. Passa-se de uma condição na qual predomina a economia de subsistência centrada na agricultura (produção para consumo próprio, geralmente de gêneros alimentícios) para o predomínio da economia de larga escala (que atende o consumo de massa), centrada na indústria.

A industrialização, portanto, passa a ser o único meio de atender a demanda crescente por bens de consumo. A modernização econômica é dependente da modernização política, mas a experiência histórica demonstra que os processos nem sempre ocorrem de modo sincrônico.

Renato Cancian, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação é cientista social, mestre em sociologia-política e doutorando em ciências sociais. É autor do livro "Comissão Justiça e Paz de São Paulo: Gênese e Atuação Política - 1972-1985".



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos