Questão com exemplos e números iguais aos do Enem foi aplicada em MG dias antes da prova

Rafael Targino
Em São Paulo

  • Reprodução

    A questão da esquerda é a do Bernoulli; a do meio, a do Enem; à direita, o site da Enersul

    A questão da esquerda é a do Bernoulli; a do meio, a do Enem; à direita, o site da Enersul

Uma questão muito semelhante a uma do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2011 –com exemplos e números iguais– foi aplicada em um simulado do Colégio Bernoulli, de Minas Gerais, em setembro -antes da realização da prova do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais).

A questão 77 do simulado do Bernoulli fala sobre medidores de energia. No exemplo dado pelo colégio, há quatro pequenos relógios de luz. O ponteiro do primeiro, que indica o milhar, está entre os números 2 e 3; o do segundo, da centena, entre 6 e 7; o do terceiro, da dezena, entre 1 e 2; o do quarto e último, da unidade, entre 4 e 5. De acordo com o texto, a leitura dos relógios indica o resultado de 2.614 kWh. Após o exemplo, o item prossegue perguntando sobre outro relógio.

O item 137 do caderno amarelo do Enem mostra os mesmos relógios, com os ponteiros exatamente nas mesmas posições e questiona qual o resultado da leitura deles. Segundo o gabarito oficial do Inep, é correta a alternativa A – 2.614 kWh, o mesmo número apresentado pelo Bernoulli. Vale destacar que, nos dois casos, os ponteiros estão entre os números e não em cima.

Segundo demonstrado na questão do Enem, o exemplo dos relógios foi retirado do site da Enersul, uma distribuidora de energia do Mato Grosso do Sul. Na página, há uma figura semelhante –mas com os ponteiros em posições diferentes.

"Coincidência"

O diretor do Bernoulli, Rodrigo Domingos, afirmou que o fato de os exemplos (e o resultado) serem exatamente iguais é uma coincidência. "Os nossos professores, os dos outros sistemas de ensino ou escolas e os autores de questões do Enem ao criarem questões muitas vezes se baseiam em figuras ou dados que tiram da internet. Por isso, a coincidência às vezes até mesmo em um número ou outro", disse por e-mail ao UOL Educação. "As semelhanças nas questões se dão tão somente pelo fato de utilizarem o “relógio de luz” e de terem de explicar como ele funciona para evitar que o candidato erre a questão por não saber como se faz a sua leitura."

Questionado, Domingos disse que o Bernoulli não compra itens de nenhum aplicador, não faz parte da equipe que fornece itens ao Inep e que não houve pré-teste na escola.

O MEC (Ministério da Educação) diz também que foi uma "coincidência" e afirma o colégio não fornece itens para a prova. De acordo com o órgão, nenhuma escola de Minas Gerais participou do pré-teste do Enem.

Particulares de MG vão pedir anulação

O Sinep-MG (Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais) vai pedir a anulação do Enem 2011 em todo o país. Representantes do sindicato tem uma reunião marcada com o Ministério Público do Estado, na tarde desta sexta-feira (28), para apresentar documentos necessários para protocolar a ação. O sindicato também entrará com um pedido de liminar para suspender a divulgação dos resultados do exame até que a ação seja julgada.

“Considerando que 639 alunos de uma escola no Ceará tiveram a quebra de sigilo da prova, com as questões antecipadas, nós acreditamos que, com a velocidade da internet e os telefones celulares, essas informações podem ter se espalhado rápido demais”, disse Emiro Barbini, presidente do Sinep-MG.

O defensor público federal Ricardo Salviano também anunciou que irá enviar, na tarde desta sexta-feira, uma recomendação ao MEC (Ministério da Educação) para que anule todo o Enem 2011 ou pelo menos as 14 questões que vazaram no colégio Christus, de Fortaleza.  “O objetivo é um só, garantir a isonomia dos candidatos do Brasil inteiro”, disse Salviano.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos