Três em cada dez alunos que deveriam estar no ensino médio estão no fundamental

Da Redação do Todos Pela Educação*

Cerca de um terço (31,9%) dos alunos que deviam estar no ensino médio não conseguiram concluir a etapa anterior, o ensino fundamental. Os dados fazem parte da edição de 2009 da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e foram elaborados pela área de Estudos e Pesquisas do Todos Pela Educação.

De acordo com os dados, 50,9% dos jovens de 15 a 17 anos estão no ensino médio, etapa apropriada para a faixa etária em questão. Uma parcela (0,7%) concluiu a educação básica e está em cursos pré-vestibulares ou no ensino superior. Entretanto, 0,2% dos estudantes ainda cursam a etapa de alfabetização, e 1,2% a educação de jovens e adultos no nível fundamental. Além disso, 14,8% dos jovens estão fora da escola. Os dados podem ser observados na tabela abaixo:

Distribuição das etapas de ensino dos alunos de 15 a 17 anos

Etapa de ensino Número de alunos de 15 a 17 anos %
Ensino fundamental 3.315.658 31,9%
Ensino médio 5.295.192 50,9%
Alfabetização de jovens e adultos 21.883 0,2%
Educação de jovens e adultos - fundamental 124.216 1,2%
Educação de jovens e adultos - médio 23.137 0,2%
Ensino superior 62.361 0,5%
Pré-vestibular 17.127 0,2%
Não estudantes 1.539.811 14,8%

No Brasil, as taxas de estudantes de 15 a 17 anos no ensino médio, também chamadas de taxas líquidas de matrícula nesta etapa da educação básica, variam bastante conforme a região. Pelos dados, no Norte e no Nordeste do País, apenas quatro em cada dez jovens desta faixa etária está no ensino médio.

Taxas líquidas de matrícula

Região Ensino médio
Norte 39,1%
Nordeste 39,2%
Sudeste 60,5%
Sul 57,4%
Centro-Oeste 54,7%
BRASIL 50,9%

Dados comparativos do Censo 2010

Segundo o Censo 2010, a taxa de atendimento dos jovens de 15 a 17 anos alcançou o patamar de 83,3%. Pela Emenda Constitucional nº 59, até 2016, a educação básica deve ser universalizada dos 4 aos 17 anos. Assim, o desafio para os gestores é grande.

No Norte do país, o percentual de atendimento é o mais baixo, com 81,3% dos jovens de 15 a 17 anos na escola. Já o Sudeste tem a taxa de acesso à escola mais alta nesta faixa etária: 85%.

Em dez anos, a frequência à escola nesta faixa etária aumentou 7%. “Se o ritmo de crescimento não for mais acelerado, não conseguiremos ter nem 90% dos jovens na escola nos próximos dez anos”, afirma Priscila Cruz, diretora-executiva do Todos Pela Educação.

Taxas de atendimento escolar das populações de 15 a 17 anos para o Brasil e regiões, segundo os Censos 2000 e 2010

Região 2000 (em %) 2010 (em %) Crescimento (em %)
Norte 73,1 81,3 11,2
Nordeste 77,3 82,8 7,1
Sudeste 80,4 85,0 5,7
Sul 75,5 81,4 7,8
Centro-Oeste 77,2 83,1 7,7
BRASIL 77,9 83,3 7,0

A universalização do atendimento escolar é analisada pela Meta 1 do Todos Pela Educação que diz que toda criança e todo jovem, de 4 a 17 anos, devem estar na escola.

*O Todos Pela Educação é um movimento que congrega a sociedade civil, educadores e gestores públicos pela exigência de uma educação básica de qualidade para crianças e jovens.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos