Estado investigará caso de aluno supostamente impedido de excursionar por ser gordo

Rayder Bragon
Do UOL, em Belo Horizonte

A secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais vai investigar a suposta discriminação que um aluno da rede estadual teria sofrido ao ser impedido de excursionar com os colegas por ter sido considerado acima do peso. O caso teria ocorrido nesta quinta-feira (20) na escola estadual Murgy Hibraim Sarah, localizada em Santa Luzia (MG).

A mãe do aluno afirma que ele foi preterido do passeio em relação aos demais alunos, que seriam magros. Uma funcionária da escola teria dito ao aluno que o sobrepeso foi determinante para a sua exclusão, pois ocuparia muito espaço. Parte das crianças, do 5º ano, foi transportada por vans. As informações são da secretaria.

Os estudantes iriam visitar o Parque Municipal Fazenda Lagoa do Nado, uma área de preservação ambiental situada na região dos bairros Planalto e Itapoã, na capital mineira.

De acordo com a secretaria, a família do aluno que alega ter sofrido a discriminação será convocada pela diretoria da escola, bem como a funcionária citada por ela, para prestarem esclarecimentos, nesta sexta-feira (21).

Ainda conforme o órgão, uma inspetora da secretaria vai acompanhar o caso.

Roteiro

O roteiro inicial da excursão, segundo a secretaria, era para ser feito a uma unidade do Sesc, mas o passeio foi frustrado em razão de um imprevisto que surgiu na chegada do grupo ao local. O ônibus contratado para transportar os alunos no trajeto de ida e volta ao local já teria sido pago e não havia como refazer outro roteiro utilizando o veículo, informou a secretaria de educação.

Em razão da frustração das crianças, a opção foi ajeitá-las em vans, e em carros dos próprios professores, e a alternativa escolhida foi o parque ecológico na capital mineira.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos