Enem: Redação com nota máxima vai passar por banca, diz Mercadante

Lourenço Canuto
Da Agência Brasil, em Brasília

O MEC (Ministério da Educação) estuda tornar mais rigorosa a aplicação das notas nas redações do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). O ministro Aloizio Mercadante informou que a redação que receber nota máxima por dois avaliadores passará a ser examinada por uma banca.

Atualmente, todas as redações do Enem são corrigidas por dois avaliadores. Quando há uma diferença de 200 pontos entre as duas notas, a redação é encaminhada ao terceiro corretor. A proposta em discussão é que as redações com nota máxima, de mil pontos, sejam obrigatoriamente avaliadas por uma banca. Na última edição do Enem, 2.084 redações tiveram a nota máxima.

O ministro destacou que redações com inserções consideradas "provocativas ou debochadas" vão tirar nota zero. No último Enem, foram detectadas cerca de 300 provas com trechos inadequados, como hino de clube de futebol e receita de macarrão instantâneo.

Mercadante acredita que as inserções indevidas podem ter ocorrido de forma não intencional por "parte de estudantes muito jovens, com pouco tempo para fazer a redação, e que assim agiram na tentativa de desenvolver o raciocínio sobre uma questão". 

De acordo com ministro, foram afastados 394 corretores de provas que trabalharam no último Enem. "Eles estão em constante processo de avaliação também", explicou.

Para  "enchergar" melhor

Nesta semana, o jornal carioca "O Globo" mostrou que redações que receberam nota máxima na avaliação do Enem 2012 tinham erros de ortografia, como "rasoavel", "enchergar" e "trousse". As "melhores" redações do Enem tinham erros de ortografia, concordância verbal, acentuação e pontuação.

Outras duas redações ficaram famosas por terem trechos indevidos -- um estudante inseriu o modo de fazer miojo e outro, o hino do Palmeiras na redação no Enem 2012.

Notícias relacionadas



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos