Revoluções agrícola, verde e transgênica

Ângelo Tiago de Miranda

  • Renato Stockler/Folhapress

Objetivos

1) Observar que mesmo com as revoluções na atividade agrícola, cujo principal efeito foi o aumento da capacidade de produção, há diversas regiões no mundo vivendo as tragédias da subnutrição e da fome;

2) Conhecer as características e as consequências das revoluções agrícola, verde e transgênica;

3) Analisar as vantagens e as desvantagens das culturas transgênicas;

4) Comentar sobre a situação do Brasil em relação aos transgênicos e analisar a questão da legalidade ou não do uso desse tipo de cultivo.

Ponto de partida

Leitura do texto "Revoluções agrícola e verde e transgênicos".

Estratégias

1) Inicialmente, apresente aos alunos duas imagens: a primeira retratando uma plantação moderna, com a presença de tratores, por exemplo; a segunda, uma plantação tradicional, com a presença de animais desempenhando algum trabalho, ferramentas rudimentares e muitos trabalhadores. Peça para os alunos observarem as figuras e, em seguida, solicite que respondam no caderno às questões: Qual das figuras representa uma forma de agricultura moderna? E uma tradicional? Por quê? Na sequência, indique alguns alunos para lerem as respostas e faça comentários a respeito.

2) Comente que o Brasil e o mundo vivem uma contradição, pois, apesar de o espaço rural brasileiro e de vários países se modernizar (mecanização agrícola, uso da biotecnologia, etc.), o que propiciou um aumento da capacidade de produção, parte da população ainda vive em condições miseráveis. Cite a estatística da FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação), segundo a qual, no início do século 21, 852 milhões de pessoas viviam em estado de fome crônica, sendo que 815 milhões nos países subdesenvolvidos. Apresente para os alunos o gráfico intitulado "Pessoas subnutridas em 2001-2002", presente no artigo citado acima.

3) Aproveite para trabalhar os conceitos de fome crônica e fome aguda. A primeira leva à morte por inanição e é definida por um critério quantitativo, medido pelo baixo consumo de calorias. Já a segunda, também conhecida como subnutrição, muito mais disseminada no mundo que a fome aguda, é menos evidente. Define-se por critérios qualitativos (alimentação deficiente em proteínas) e traz consequências graves à saúde e à formação física e mental dos indivíduos.

4) Nesse momento, comece a discorrer sobre a evolução da agricultura no mundo. Informe que ocorreram profundas mudanças na atividade agrícola, sendo que essas mudanças, por serem grandes, foram chamadas de revoluções. Fale sobre a Revolução Neolítica e a Revolução Industrial, contextualizando-as em termos históricos e explicando como elas influenciaram a agricultura.

5) Informe que, a partir da década de 1960, ocorreu a chamada Revolução Verde. Explique que esse termo foi originalmente utilizado para referir-se à invenção e disseminação de novas sementes e práticas agrícolas que permitiram um aumento na produção em países subdesenvolvidos. Ela aumentou a produção agrícola de muitos países, como Brasil e Índia, mas a fome ainda não foi superada (o gráfico citado revela os resultados insuficientes). Vale também discutir os efeitos negativos da Revolução Verde: acréscimo dos gastos com o cultivo; endividamento dos agricultores; aumento da submissão de muitos países em relação ao mercado dos países ricos; subordinação aos interesses das grandes empresas agroindustriais; possibilidade de ocorrer a homogeneização das espécies agrícolas e a diminuição da biodiversidade; as culturas podem torna-se vulneráveis ao ataque de certas espécies, quando baseadas em variedades de plantas uniformes; expulsão dos agricultores do campo, por não mais estarem em condições de concorrer com empresas de grande porte; estagnação da produtividade; esgotamento dos solos; e crescimento do uso de pesticidas, herbicidas e fertilizantes, o que coopera para a poluição ambiental, além de contaminar os alimentos com resíduos tóxicos.

6) Em seguida, informe que, atualmente, o termo Revolução Verde ressurgiu com a questão dos transgênicos. Aproveite para analisar a questão. Em primeiro lugar, peça para procurarem no dicionário o significado da palavra transgênico e lerem os resultados encontrados. Escreva alguns significados na lousa. Partindo deles, explique as técnicas utilizadas na produção dos transgênicos, apontando os maiores países produtores e os produtos mais cultivados. É importante ressaltar que há uma polêmica internacional sobre a aplicação da biotecnologia à agricultura. Os produtos transgênicos são largamente utilizados em alguns países, mas há uma resistência significativa ao seu consumo em importantes mercados. Levante as seguintes questões para os alunos pesquisarem e responderem: quais são os argumentos utilizados nesse debate internacional? Quais os pontos a favor na utilização dos produtos transgênicos? Você é favorável ao consumo de produtos transgênicos? Por quê?

7) Elabore um quadro na lousa contendo duas colunas. Na primeira, escreva pontos a favor; e na segunda, pontos contra. Peça para que cada aluno fale um ponto a favor e um contra. Escreva na lousa o resultados e comente-os. Comente que algumas das suspeitas que pairam sobre a criação de organismos geneticamente modificados, comum em vários países e também no Brasil, não se fundamentam em fatos cientificamente comprovados. Procure evitar uma abordagem maniqueísta do assunto. Destaque que, como qualquer tecnologia, a manipulação genética deve ser avaliada criteriosamente para que ofereça segurança. Alguns estudos científicos indicam que a produção de alimentos transgênicos, por exemplo, não trazem ameaças à saúde humana ou ao ambiente. Feche o debate lembrando a necessidade do acompanhamento permanente dos eventuais efeitos dos produtos transgênicos sobre a alimentação humana.

8) E a utilização dos transgênicos no Brasil? Comente que a controvérsia envolve órgãos oficiais, governos estaduais, produtores, institutos de pesquisa agrícola e organizações não governamentais. Num pólo, há os que defendem a posição de que o Brasil deve se tornar um produtor e exportador de transgênicos, por meio de institutos de pesquisa como a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). No pólo oposto, há os que defendem a proibição completa do cultivo de transgênicos. Peça para os alunos pesquisarem e responderem às seguintes questões: Quais são os atores dessa controvérsia? Quais são os fundamentos de cada posição? Como tem evoluído o debate? Ouça as respostas dos alunos e comente-as.

Ângelo Tiago de Miranda
é geógrafo, professor de Geografia e estudante do curso de Licenciatura em Pedagogia.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos