Nova ortografia - Uso do hífen

Inez Sautchuk

Ponto de partida

Este assunto prevê que o aluno conheça os processos básicos de formação de palavras por composição e por derivação prefixal e saiba usar o hífen nos casos mais corriqueiros.

Objetivos

1. Atualizar o aluno do ensino médio em relação ao novo Acordo Ortográfico no que diz respeito ao uso do hífen.

2. Demonstrar que várias regras sobre o uso do hífen foram reformuladas, na busca de um modo relativamente mais fácil, resumido e simples de emprego, mas que o assunto ainda é um dos mais complexos na grafia da língua portuguesa.

3. Refletir sobre o fato de que essas alterações não mudaram a língua portuguesa: o que ocorreu basicamente foram apenas alterações de natureza gráfica.

4. Alertar para a necessidade de se recorrer a um bom dicionário quando diante dos casos mais complexos.

Estratégias

1. Reveja os casos mais usuais de uso do hífen, escolhendo propositalmente ilustrações e exemplos em que haja palavras que sofreram modificações de grafia e mostre ao aluno especificamente a que a reforma se restringiu.

2. Use colunas com elementos de formação de palavras mais usuais. Por exemplo, termos que sejam representados por forma substantiva, adjetiva, verbal ou numeral (misturáveis entre si); prefixos terminados por vogal diferente ou igual à terminação da palavra base etc.

3. Use material da mídia escrita em geral (bons jornais e revistas, sites de jornalismo etc.) e conduza o aluno na comparação do que existia na maneira de usar o hífen em algumas palavras e o que passou a existir.

Atividade

1. Organize um jogo, utilizando as colunas e pedindo ao aluno que construa palavras misturando os elementos das colunas e empregando ou não o hífen. Confirme com ele se a grafia está correta em relação às novas regras.

2. Peça ao aluno que procure na mídia escrita palavras compostas ou derivadas, grafadas ou não com hífen.

Obs.: o professor poderá trazer o material já pré-selecionado.

3. Observe com ele como o número desse tipo de palavra é bastante pequeno nos textos em geral.

4. Fixação: use um pequeno texto com palavras construídas a partir das colunas, mas sem as alterações previstas pelo acordo. Peça que se façam as devidas correções pós-acordo: o aluno "trabalha" como se fosse revisor de um jornal ou de uma editora.

Obs.: a atividade pode ser realizada individualmente ou em grupo.

Comentário

As regras de emprego do hífen eram e continuam sendo muito numerosas. O assunto é um dos mais complexos da língua portuguesa, com várias exceções, incoerências e até mesmo omissões. É indispensável, por isso, recomendar aos alunos que recorram constantemente a edições pós-acordo de bons dicionários ou a um guia ortográfico oficial da língua, como o Volp (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa).

Veja também

  • Plano de aula para o ensino médio: Grafia e Acentuação
  • Plano de aula para o fundamental: Uso do hífen 1
  • Plano de aula para o fundamental: Uso do hífen 2
  • Plano de aula para o fundamental - Acentuação 1
  • Plano de aula para o fundamental - Acentuação 2
  • Especial Reforma Ortográfica
  • Inez Sautchuk
    é doutora em Letras pela USP, professora universitária aposentada, autora de livros sobre produção de texto e morfossintaxe

    titulo-box Shopping UOL

    UOL Cursos Online

    Todos os cursos