UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Últimas Notícias

28/03/2008 - 10h00

Criança do Sudeste estuda mais do que em outras regiões, diz IBGE

Bruno Aragaki
Em São Paulo
A região Sudeste é a única do país em que a maioria das crianças permanece na escola além do tempo mínimo exigido por lei: 72% dos alunos dos ensinos fundamental e médio nessa região têm mais de quatro horas de aula por dia, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Os dados referentes à educação brasileira em 2006 divulgados nesta sexta-feira (28) trazem o Norte na outra ponta do ranking de tempo de na escola. Na região, a maioria dos alunos de ensino fundamental (80,4%) têm apenas quatro horas de aulas; no médio, o percentual de alunos que têm o "mínimo" é de 59,6%.

Moacyr Lopes / Folha Imagem
Período de aulas no país, para 56% dos alunos no fundamental, é de 4 horas
18% RECEBEM AJUDA DO GOVERNO
CRIANÇAS AJUDAM EM CASA
1,4 MI MENORES DE 14 TRABALHAM
Na região Sul, que normalmente têm os melhores indicadores socioeconômicos do país, 78,7% dos alunos de nível fundamental e 70,4% de médio têm apenas a carga mínima de aulas.

O estudo divide as regiões em dois grupos (um, dos Estados e regiões que oferecem quatro horas de aula diárias, e outro, em que as crianças estudam mais), mas não especifica a quantidade de horas que os alunos passam nas escolas.

Nos Estados Unidos e na Europa, a maior parte das crianças têm pelo menos seis horas de aula por dia.

Merenda

A oferta de merenda gratuita nas escolas públicas também varia no país. O Nordeste é a região que menos distribui merenda: 10,1% dos alunos de escolas públicas não recebem refeições.

No Sudeste, região em que a entrega de merendas é mais comum, o benefício não é recebido por 6% dos alunos.

Analisados por níveis de escolaridade, os estudantes de ensino médio são os que têm menos acesso à merenda. As refeições são entregues, na média nacional, a 48% dos alunos dessa faixa de ensino e a 85,6% do fundamental.
Leia mais
Desemprego é maior entre escolarizados
No Nordeste, um quinto da população ainda não lê
Quase todas as crianças de 5 a 14 vão à escola
Número de estudantes no nível superior cresce 13,2%, diz IBGE
Ensino público perde 300 mil em 2006
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Lição de Casa Dicionários

    Aulete

    Português

    Houaiss

    Português

    Michaelis


    Tradutor Babylon


    Intercâmbio

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host