UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Últimas Notícias

31/07/2009 - 11h56

Rede estadual de Minas Gerais vai adiar começo das aulas devido à gripe suína

Da Redação
Em São Paulo
Atualizada às 12h35

A secretaria estadual de Educação de Minas Gerais, em acordo com a secretaria de Saúde, decidiu adiar o início das aulas na rede de ensino do Estado. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (31).

Os alunos voltariam das férias na próxima segunda-feira (3). Com o adiamento, as aulas serão retomadas no dia 10 de agosto. Segundo o Educacenso 2008, a rede mineira tem 2.525.386 matrículas na educação básica.

Segundo a secretaria de Educação, a decisão foi tomada para garantir a tranquilidade dos pais e professores, que estão receosos com a transmissão do vírus. Com a medida, as escolas ganham tempo para capacitar professores e funcionários na prevenção da gripe A (H1N1).

Veja lista de redes e instituições que adiaram o início das aulas

O sindicato das escolas particulares do Estado está recomendando a prorrogação das férias também nas instituições privadas. Cada escola tem a autonomia para decidir se vai prorrogar as férias ou não. Segundo a assessoria de imprensa da entidade, há 4.000 escolas no Estado. Desse total, 1.500 estão em Belo Horizonte.

Segundo o último informe da Secretaria de Saúde do Estado, divulgado em 27 de julho, há, até o momento, 321 casos suspeitos e 154 casos confirmados. Ainda não há mortes registradas.

  • Saiba tudo sobre a gripe suína
  • A sua escola ou faculdade está sem aulas? Deixe seu comentário
    Você concorda com o adiamento das aulas como medida preventiva contra a gripe suína?

    Paraná

    Na tarde de ontem (30), o governador Roberto Requião anunciou a suspensão temporária das aulas em toda a rede estadual de ensino do PR, como medida de prevenção à gripe A (H1N1). O Estado do Paraná já registrou quatro mortes atribuídas à gripe, segundo o levantamento mais recente.

    Cerca de 1,4 milhão de alunos das escolas paranaenses de ensino fundamental e médio e 90 mil estudantes de faculdades e universidades mantidas pelo Estado vão ficar sem aula até 10 de agosto.

    Em nota oficial, o governo afirmou que "o Paraná tem resistido aos apelos de suspender as aulas por considerar a medida inócua", uma vez que "o vírus não tem preferência por qualquer ambiente". Porém, diz a nota, os pais dos alunos estão apreensivos. "Por isso, mesmo considerando a medida pouco eficaz, tomamos a decisão de suspender as aulas na rede pública estadual de ensino fundamental, médio e universitário".

    RJ, RS e SP

    Na quarta-feira (29), o Rio de Janeiro, com 1,5 milhão de estudantes, e o Rio Grande do Sul, com 1,2 milhão de alunos, optaram por retomar suas atividades em 10 e 17 de agosto respectivamente.

    A recomendação do Estado do RS é que os estudantes das redes municipais, particulares e de universidades também façam o mesmo e só voltem às aulas no dia 17 de agosto, conforme comunicado emitido pela governadora Yeda Crusius (PSDB) na quarta (29).

    A prefeitura do Rio também decidiu fechar escolas e creches. Segundo a secretaria, os 711 mil alunos do ensino fundamental (1° ao 9° ano) voltarão às aulas no dia 10 de agosto, enquanto que as 30 mil crianças matriculadas nas creches municipais terão as aulas adiadas por duas semanas, retornando no dia 17 de agosto.

    Um dia antes (28), em São Paulo, a recomedação da Secretaria da Saúde do Estado foi acatada pela pasta da Educação. Cerca de 5,5 milhões de alunos da rede estadual ficarão em casa até o dia 17 de agosto. Como aconteceu no Rio, a capital paulista acatou a recomendação e a rede municipal de ensino suspendeu as aulas e o funcionamento das creches. A rede municipal, composta de 1.057 escolas com cerca de 918 mil alunos, prorrogou férias até 17 de agosto. Já as creches paralisam as atividades a partir de segunda-feira (3). Até hoje, as creches funcionarão normalmente para que os pais e responsáveis possam se organizar sobre onde deixar as crianças. Segundo a secretaria, o serviço atende 120 mil.

    Até quinta-feira (30), pelo menos 13,58 milhões de alunos tiveram a volta às aulas adiadas no segundo semestre, como medida de prevenir o contágio pela gripe suína (influenza A H1N1).

    A onda de prorrogação das férias começou na sexta-feira (24), quando a rede de educação do DF (Distrito Federal) decidiu dispensar os estudantes para capacitar os professores para lidarem com a doença.
    Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

    Compartilhe:

      Receba notícias

      Lição de Casa Dicionários

      Aulete

      Português

      Houaiss

      Português

      Michaelis


      Tradutor Babylon


      Intercâmbio

      Shopping UOL

      Hospedagem: UOL Host