UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Proposta de dezembro de 2007

A gramática facilita ou dificulta a comunicação?

As regras gramaticais têm como objetivo uniformizar a língua de um povo, padronizá-la, de modo a torná-la comum e acessível a todos os usuários. Em poucas palavras, a gramática deve facilitar a comunicação. No entanto, a imensa dificuldade dos estudantes em aprendê-la sugere que isso talvez não ocorra de fato. O grande número de normas - às vezes sobre detalhes aparentemente insignificantes - não acaba complicando e criando confusão? Que importância tem, por exemplo, a troca de uma única letra na grafia de uma palavra?

Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

5,5

A aliada Gramática

Palavras acentuadas indevidamente ou falta de acentuação das mesmas, cacografias, erros de concordância tornaram-se habituais tanto na escrita quanto na fala. Esquecem-se ou até mesmo não aprendem-se as regras da Gramática. Para alguns, estas facilitam e são elementos básicos da organização de qualquer forma de comunicação escrita ou oral, para outros tornam-se inflexíveis e amedrontadoras.

"Concerta-se roupas". "Faça seu óculos aqui". " Vende-se kits compreto". "Catigoria". "Rodoaza Tranporti"."Almário". Quem nunca leu ou já escutou algumas destas frases?. É hilariante e ao mesmo constrangedor depararmo-nos com tais atrocidades e, isto, se tornou banal vermos em placas de prestação de serviços, ouvirmos em bordões de tele-novelas e filmes, vermos em sites de relacionamento, etc. Parece até que a nossa velha e aliada Gramática está se tornando um tanto arcáica, que o correto , é escrever "erado" e o que importa mesmo é o sentido que não faz sentido algum.

Uma das causas de erros como os citados no início do segundo parágrafo, é a educação básica deficiente e quanto alguns professores amedrontam seus alunos, fazendo de regras verdadeiros "bichos-papões" e tornando-as inflexíveis ao entendimento dos mesmos. Cresce-se falando e escrevendo incorretamente, as consequências serão sentidas em alguma fase da vida. Acarretará problemas como falta de credibilidade, diferente dos adeptos do ato de escrever que seguem regras fixadas e que não terão maiores problemas.

Sob meu ponto de vista, não me detendo de preconceito, adquire-se maior crédito e nos comunicamos melhor seguindo corretamente as regras da Gramática, afinal, alguém confiaria num advogado que falasse, "sou adevogado", ou um médico que escrevesse, " a gravides é de auto risco". Penso que estes nem mesmo tem domínio da lingua falada e escrita, quiçá exercer suas devidas profissões.

Comentário geral


A estudante discute a questão proposta e defende uma posição em relação ao problema. No entanto, o texto apresenta várias dificuldades lingüísticas, incluindo problemas de escolha vocabular, de concordância e de coesão.

Aspectos pontuais


1) Observe a afirmação feita no primeiro parágrafo, no trecho ressaltado em vermelho: "Palavras acentuadas indevidamente ou falta de acentuação das mesmas, cacografias, erros de concordância tornaram-se habituais tanto na escrita quanto na fala." Problemas de acentuação gráfica e erros de ortografia (cacografia) não ocorrem na fala. Por definição, só podem acontecer na escrita.

2) No último parágrafo, o trecho ressaltado em vermelho apresenta alguns problemas gramaticais. Observe:

"Sob meu ponto de vista, não me detendo de preconceito, adquire-se maior crédito e nos comunicamos melhor seguindo corretamente as regras da Gramática."

O texto pode ser melhorado com a escolha do verbo "ater-se" (em vez de "deter-se") e com o paralelismo entre a forma verbal dos verbos "adquirir" e "comunicar-se". Observe o trecho reescrito:

"No meu ponto de vista, sem me ater a preconceitos, penso que adquirimos mais crédito e nos comunicamos melhor seguindo corretamente as regras da gramática."

3) O advérbio "quiçá", utilizado no último parágrafo, significa "talvez" e, do modo que foi usado, deixa a frase sem sentido. Eis uma sugestão para reescrever todo o período e deixá-lo claro e de acordo com o que o estudante quis dizer: "Aqueles que nem sequer têm domínio da língua falada e escrita também não devem ter condições de exercer bem suas profissões."

Competências avaliadas

Competência Nota
1. Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
2. Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,5
3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,5
4. Demonstrar conhecimento dos mecanismos lingüísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
5. Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Total 5,5

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host