UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

2,5

A balbúrdia nas escolas

A violência é um fleumático problema. E isso é ainda mais agravante [grave] quando acontece nas escolas, onde os cúmplices dela [seus cúmplices] trocam os livros pela balbúrdia.

Tornou-se comum vermos na TV, ou até mesmo serem manchetes de jornais, a violência dos jovens nas escolas brasileiras [Tornou-se comum vermos na TV ou nas manchetes de jornais a violência dos jovens nas escolas brasileiras]. Mas por que isso acontece? Geralmente ela está disseminada [associada] ao uso de drogas (eventualmente ligadas [ligada] ao narcotráfico), [ao] bullying ou até mesmo por [a] motivos banais.

O fenômeno, "ciberviolência" [fenômeno da cyberviolência] também tornou-se algo corriqueiro aos [entre os] jovens atuais. Com a era de smatphones [dos smartphones] e [da] internet, o compartilhamento da violência é extensa, e [intenso e] o exibicionismo é algo de valor aos [para os] ignóbeis praticantes da violência.

Para "freiar" [frear] essa violência generalizada, escola em tempo integral, oportunidade de desenvolvimento profissional e participação dos pais na vida do jovem dariam uma repressão à balbúdia [balbúrdia], fazendo-o ter ferramentas decisivas para o seu futuro.

Enfim, é imprescindível que o governo tenha propostas ponderadas para combater a violência que vem se tornando trivial.
 

Comentário geral

Texto fraco, a começar pela compreensão equivocada do problema: violência não pode ser simplesmente considerada como balbúrdia. Além disso, é de se notar a dificuldade de se expressar com clareza e a grande quantidade de erros gramaticais. No âmbito positivo, destacam-se a estrutura dissertativa e a organização do conteúdo.
 

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a como o núcleo de sentido da frase é o adjetivo fleumático, cujo significado não se aplica à questão da violência, a frase toda não faz sentido. Ou seja, o aluno começa com uma declaração vazia.

2) Terceiro parágrafo: a escolha dos adjetivos ou é equivocada ou aleatória. Aqui, parece que o aluno trocou extenso por intenso. No último parágrafo, o aluno fala em propostas ponderadas, também empregando uma adjetivação absurda. O mínimo que se pode esperar de propostas para solucionar o problema é que ela sejam ponderadas (refletidas, que pondere, isto é, pese todos os elementos envolvidos).

3) Quarto parágrafo: em termos formais, a organização do parágrafo é totalmente confusa e está no limite da gramaticalidade. Para piorar, em termos de conteúdo, há a questão de achar que violência é balbúrdia (= bagunça) e apresentar a repressão como solução do problema.

4) Quinto parágrafo: ver comentário do item 2.

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.0,5
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.0,5
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.0,5
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.0,5
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.0,5
Total 2,5

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host