UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Proposta de julho de 2009

A virgindade é um valor moral a ser preservado?

Tanto a vida sexual precoce de muitos adolescentes quanto a opção pela virgindade são motivo de polêmicas. Nestes tempos de tolerância, ou permissividade, a castidade até o casamento volta a ser valorizada pelos jovens, como era por seus bisavós. Numa inversão de papéis, muitos pais da geração dos anos 1960 consideram seus filhos conservadores. Outros suspiram aliviados, ou porque são religiosos, ou porque têm medo de doenças sexualmente transmissíveis, ou, ainda, porque acham que a virgindade é sinal de juízo. Entre os jovens, há guerras de opinião em blogs e comunidades da internet. E você, o que acha? A virgindade até o casamento é ou não importante para o relacionamento de um casal?

Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

5.5

"A curiosidade matou o gato"

Em pleno séc [século] XXI, quando a sociedade já conseguiu derrubar vários tabus, ainda se discute o assunto: virgindade.

Quando se [Quando é] é criança[,] o indivíduo recebe vários conceitos e acredita fielmente neles. De repente, chega a adolescência e o mesmo [este] entra em conflito com a família[,] justamente porque não aceita os conceitos que aprendeu.

O adolescente quer falar de beijo e [, mas] os pais não permitem [admitem ] o assunto[,] que dirá falar sobre sexo.[?] Preferem omitir o assunto a esclarece-lo [esclarecê-lo] aos filhos.

Então ele decide resolver seu problema sozinho, e aí está o grande perigo: alguns não tem [têm] uma experiência muito boa, já outros se lembram [dela] com orgulho. Pais que hoje são liberais[,] na verdade foram adolescentes reprimidos.

Assim[,] a virgindade não é o assunto principal do casamento, não quer dizer que uma pessoa que se case virgem seja mais feliz do que a outra que não o fez.

O importante é que todos tenham acesso a[à] informação e no momento certo tenham sua experiência sem receios.

Comentário geral

A redação está desenvolvida de modo adequado, mas foge ao tema central (manter virgindade ou não), ao optar por falar sobre o silêncio que envolve o sexo. Esse problema é grave, pois a redação não se sustentará (nem ao final), quando se afirma que a virgindade não é importante. Além disso, o título é claramente de humor, mas não se liga ao assunto em questão.

Aspectos pontuais

1. No primeiro parágrafo há incoerência na escolha do sujeito: quando se usa "se", constrói-se a oração com sujeito indeterminado; logo em seguida, usa-se "o indivíduo", sujeito simples. Deve-se fazer a adequação, sugere-se: "Quando é criança, o indivíduo recebe vários...".

2. O segundo parágrafo contém uma incoerência, que o autor, parece, não percebeu: "grande perigo" é narrado simultaneamente como sinônimo de boa e má experiência. Além disso, a frase "e aí está o grande perigo" é um clichê, uma frase pronta.

3. Um problema é o uso do "assim" no quarto parágrafo: ele não faz coesão, nem dá coerência ao que se disse antes nem com o que se dirá depois; sugere-se a frase: "Embora a virgindade não seja o aspecto principal de um casamento, isso não quer dizer que uma pessoa que se case virgem seja mais feliz do que outra que não o seja."

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.1.0
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.1.5
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.1.0
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos lingüísticos necessários para a construção da argumentação.1.0
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.1.0
Total 5.5

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host