UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Proposta de abril de 2010

Qual o papel da imprensa numa sociedade democrática?

Pesquisa do Instituto Análise revela que 91% dos brasileiros pensam que a imprensa ajuda a combater a corrupção ao divulgar escândalos que envolvem políticos e autoridades. Trata-se de uma grande maioria, que aumenta, passando para 97%, quando se pergunta se a imprensa tem o dever de investigar e divulgar esses problemas. Mas há quem pense que a imprensa vê as coisas por um prisma negativo, dando especial destaque aos aspectos ruins ou prejudiciais de certos fatos. É claro que nem só de denúncias pode viver o jornalismo, mas, de qualquer forma, ninguém se declara a favor da censura e todos concordam que a imprensa livre é fundamental para o funcionamento da democracia. O que você tem a dizer sobre esse tema? Qual é, a seu ver, o papel da imprensa numa sociedade democrática?

Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

5,0

A função social-democrática da imprensa

Em uma sociedade, a imprensa é o maior exemplo da liberdade de expressão, e essa pode adquirir variadas funções. Para uma maioria populacional, por exemplo, seu papel é o de informar escândalos políticos, para outros é o de garantir o funcionamento da democracia.

No entanto, sua principal finalidade deve ser educativa, prezando pela qualidade e veracidade do fato divulgado. Deve ser adotada uma posição neutra, de modo a respeitar os dois lados de um problema, para possibilitar à população a formação de um ponto de vista baseado no real.

Quando há manipulação das informações, através da omissão ou valorização de dados ou por causa do privilégio de um "lado da moeda" , a imprensa deixa de ser educadora e informativa, comprometendo a opinião da população, que será construída em [por meio de] uma meia verdade.

Ao exercer seu papel social de modo a beneficiar o todo, é preciso que aqueles que fazem parte dessa área entendam e respeitem a capacidade de influência que possuem e trabalhem para que essa seja positiva.

Além do mais, a população tem que saber absorver e filtrar as notícias e ter contato com mais de um meio de divulgação, para que seu conhecimento seja confiável.

A imprensa é parte essencial e inseparável da democracia, e dependente de nós, seres sociais e políticos, como diria Aristóteles.

Comentário geral

Na verdade, o texto ganha uma direção a partir do segundo parágrafo. É a partir dele que o leitor percebe que o autor tem uma determinada opinião sobre o papel da imprensa. Acontece que o parágrafo anterior, que deveria servir de introdução, é muito vago e impreciso, e não chega a introduzir o leitor no que o texto vai discutir. Esse problema, as questões pontuais (apontadas abaixo) e a própria análise do autor, que se limita a um único aspecto do tema - a imparcialidade da imprensa -, puxam para baixo a avaliação de um texto que não deixa de ter seus méritos: não há erros gramaticais e o autor sabe ser claro ao expor seu ponto de vista.

Aspectos pontuais

1) o texto tem uma série de expressões inadequadas ou imprecisas desde o título. A rigor, a expressão "social-democrática" remete à social-democracia, que é uma doutrina política. A função social da imprensa numa democracia, portanto, não pode ser chamada de "função social-democrática da imprensa".

2) Primeiro parágrafo: a) O uso de uma expressão inadequada compromete a veracidade da primeira declaração. "Em uma sociedade" significa "em qualquer sociedade". Existem sociedades, como as indígenas, por exemplo, em que não existe imprensa. Então, não é em qualquer sociedade que a "a imprensa é o maior exemplo da liberdade de expressão". b) "Essa" gera confusão e deveria ser suprimido. É a imprensa e não a liberdade de expressão que pode assumir várias funções. c) Por "para uma maioria populacional" o que o autor quis dizer foi "Para a maioria da população".

3) Segundo parágrafo: a) Tanto aqui quanto no próximo parágrafo, o autor diz que a imprensa deve ser "educadora". Talvez ela também deva ser, mas a função principal da imprensa é informar e transmitir notícias. Para educar, existem, antes de tudo, as instituições de ensino. b) Por "no real", melhor seria usar "na realidade".

4) Terceiro parágrafo: a) Em vez de "lado da moeda", seria melhor usar uma expressão objetiva, não metafórica, como "privilégio de uma das partes envolvidas". b) Já que o autor fala em "manipulação de informações", "omissão" etc., ele não está falando em "meias verdades", mas em mentiras.

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.1,5
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.1,0
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.1,0
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.1,0
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.1,0
Total 5,0

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host