UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Banco de redações

Redação

Aluno:***

Idade:***

Colégio:***

3,5

Caos nas ruas

No mundo moderno em que vivemos, a maioria dos brasileiros, homens e mulheres, precisam sair de casa todos os dias, seja para trabalhar, levar os filhos na escola, ir ao super mercado [supermercado] , salão de beleza, etc. Infelizmente o meio de transporte mais utilizado é o carro particular, já que ônibus e metrôs não oferecem nenhuma garantia de bem estar e qualidade.

Muitos problemas surgem em decorrência do grande aumento de veículos nas ruas: acidentes, assaltos, confusões e até mortes. o fator principal que leva a todas essas consequências é o stresse [estresse] . Todos os dias a mesma coisa, horas e horas parado no trânsito, e ninguém toma nenhuma atitude.

O Brasil está crescendo, a economia melhorando, mas as condições de nossas rodovias e ferrovias não está nada agradando. O caos nas ruas só aumenta e tende a ficar pior, em consequencia [consequência] do grande aumento da população.

Contudo, é preciso investir em meios de locomoção que transporte [transportem] várias pessoas ao mesmo tempo, como os metrôs, diminuindo o número de veículos nas ruas, reduzindo o stresse [estresse] e acabando quase que definitivamente com a violência e mortes no trânsito.

Comentário geral

Texto fraco, em que tanto o parágrafo introdutório quanto o conclusivo não cumprem sua função. A análise do problema é superficial, limitando-se a responsabilizar o estresse nos congestionamentos como causa de todos os problemas no trânsito. Há, além disso, truísmos, redundâncias e contradições.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: redundância e truísmo marcam a primeira declaração do texto, enquanto a última é um juízo de valor subjetivo, de modo que o parágrafo que deveria introduzir o problema não tem valor informativo.

2) Segundo parágrafo: a) debitar todos os problemas de trânsito na conta do estresse já não é muito correto, mas dizer que assaltos se incluem nessa conta é um absurdo. Ninguém assalta por estar estressado. b) Por parado, o autor deve estar querendo dizer que muitos carros, centenas, milhares, ficam parados no trânsito, mas isso não pode ficar somente subentendido.

3) Terceiro parágrafo: não se trata de agradar ou não. O problema não é de gosto. Alem disso, o foco do parágrafo é inadequado. Fala-se em ruas, rodovias e ferrovias, que são questões diversas, principalmente as ferrovias. Até então, aparentemente, o foco da redação era o trânsito no interior das cidades, o que exclui as rodovias.

4) Último parágrafo: a) Não há porque o parágrafo ser introduzido por uma conjunção adversativa, já que ele não se opõe ao que foi dito no parágrafo anterior. b) Não se trata de transporte para várias pessoas. É mais do que isso: é meio de transporte de massa. c) Com o quase que definitivamente, o texto trai que seu próprio autor não está convencido da solução que propõe.

Competências avaliadas

CompetênciaNota
1.Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.1,0
2.Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.1,0
3.Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.0,5
4.Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.0,5
5.Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.0,5
Total 3,5

Desempenho do aluno em cada competência

Nota 2,0 - Satisfatório Nota 0,5 - Fraco
Nota 1,5 - Bom Nota 0,0 - Insatisfatório
Nota 1,0 - Regular
Leia a proposta completa
Leia outras redações avaliadas
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host