Topo

Educação

Banco de Redações

O UOL corrige e comenta 20 redações. Envie a sua sobre o tema da vez


REDAÇÕES CORRIGIDAS - Abril/2019 Os ursos polares da Rússia e um dilema ecológico

Redação corrigida 560

A ação antrópica e suas consequências

Inconsistente Erro Correção

Há, na pré-história, pinturas rupestres que registram os primórdios dos seres humanos em contato com animais selvagens. O tempo passou e a humanidade dominou o meio natural. Com isso, modificou paisagem e transformou, de modo expressivo, a vida de muitos seres vivos. Assim, devido a diversas ações humanas, animais de vida selvagem tem têm sido forçados a ultrapassar suas barreiras naturais e adentrar em território dominado pelo homem. Nesse sentido, existe a extrema necessidade de buscar maneiras e soluções para tal cenário.

Num primeiro momento, o ser humano, reconhecendo seu potencial para manipular o meio em que vive, torna-se o único animal capaz de raciocinar e fazer uso da razão. Assim, durante muito tempo, tem vivido para satisfazer somente as suas necessidades e vontades, ignorando a existência de outros animais. Na atualidade, contaminar, desmatar e poluir são algumas das ações antrópicas que tem têm afetado o meio ambiente, fazendo com que recursos naturais se esgotem e causem total desequilíbrio ecológico. Por consequência, animais são obrigados a buscar outro meio para sobreviver, adentrando, em certos casos, em espaços urbanizados.

Somando-se a isso Além disso, pode-se dizer que que, após as Revoluções Industriais, o modo de produção a produção se intensificou e gerou mudanças radicais em vários aspectos. Em primeiro lugar, tem-se a massiva urbanização, fazendo as cidades se expandirem e ultrapassarem limites ambientais, resultando em desmatamento. Em seguida, verifica-se a poluição tomando espaço, gerando, como em um efeito dominó, mais problemas, por exemplo, o aquecimento global que tem como consequência o derretimento das calotas polares, afetando os seres vivos que vivem naquele lugar. Além disso, deve-se por pôr em evidência o alto risco de extinção de animais que são essenciais para o ecossistema, causando podendo causar desequilíbrio nas cadeias alimentares. O que afeta diretamente o próprio ser humano que, em casos como na o da Rússia, termina por ser uma presa fácil para ursos polares que estão invadindo o arquipélago de Nova Zembla.

Mediante os fatos expostos, a humanidade deve estar ciente que o excesso de exploração do meio natural tem causado sérios problemas e que sua resolução é de muita complexidade. Dessa forma, como uma primeira medida, pode-se criar barreiras físicas em locais com maiores riscos de invasão de animais selvagens, buscando preservar as vidas humanas. Em segundo lugar, mas não menos importante, deve-se intensificar as campanhas em prol do meio ambiente que possa ambiente, que possam resultar em ações que diminuem diminuam a sua degradação. Para que que, dessa maneira, possamos diminuir os conflitos e os danos entre homem e a natureza.

Comentário geral

Texto prolixo e repetitivo, com problemas pontuais graves de linguagem e um único argumento: o desequilíbrio ecológico provocado pela ação antrópica.

Competências

  • 1) Em geral, no que se refere a linguagem, o texto é razoável. Mas há redundâncias e absurdos como falar que "há na pré-história". Ora, a pré-história é passado e o verbo haver está no presente. As pinturas continuam existindo. A pré-história não. De resto, "pinturas rupestres" são pré-históricas por definição. Igualmente, são sinônimos "contaminar" e "poluir". Há ainda exageros, como "ignorando a existência de outros animais" e "total desequilíbrio ecológico". Além disso, a frase que inicia o segundo parágrafo não faz sentido.
  • 2) A estrutura da dissertação deixa a desejar: uma leitura atenta dos três primeiros parágrafos revela que eles dizem praticamente a mesma coisa: a ação antróprica está prejudicando o meio ambiente e os animais em particular.
  • 3) Sendo sempre o mesmo argumento apresentado três vezes nos três primeiros parágrafos, como apontado, a argumentação é, infelizmente, muito fraca. Outra coisa: é necessário ir até a pré-história para falar do desequilíbrio ecológico atual? Há homens e animais nas pinturas rupestres, mas os seres humanos pré-histórico caçavam os animais, então o relacionamento entre bichos e homens não era pacífico como o autor quer dar a entender.
  • 4) Apesar da redundância, o texto tem coesão e parece evoluir, ao menos no âmbito da linguagem. O problema maior é de conteúdo.
  • 5) O texto é melhor também nesse quesito porque o autor se esforça para pensar soluções de curto e longo prazo. Mas é bom analisar o significado da proposta quanto aos ursos: segregá-los, por meio de barreiras, em seu habitat. Ora, como em seu habitat não há alimento, os ursos vão morrer de fome. É menos cruel caçá-los.

Competências avaliadas

As notas são definidas segundo os critérios da pontuação do MEC
Título nota (0 a 1000)
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 120
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 120
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 80
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 120
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 120
Nota final 560

Redações corrigidas

Título nota (0 a 1000)

Os textos desse bloco foram elaborados por internautas que desenvolveram a proposta apresentada pelo UOL para este mês. A seleção e avaliação foi feita por uma equipe de professores associada ao Banco de redações.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012.

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.