Topo

Biografias


Aníbal General cartaginês

247 a.C. (Cartago)

183 a.C. (Bitínia, atual Bursa, na Turquia)

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

2008-12-08T20:30:00

08/12/2008 20h30

Filho de Amílcar Barca e grande comandante dos cartagineses contra Roma na Segunda Guerra Púnica. Seu pai levou-o consigo para a Espanha, em 236 a.C., quando Aníbal ainda era uma criança, e fez com ele jurasse solenemente ódio a Roma.

Após a morte de seu pai e a de Asdrúbal (sucessor de Amílcar no comando das forças cartaginesas na Espanha), Aníbal foi eleito comandante pelo exército em 221 a.C., e iniciou imediatamente o cerco de Sagunto - como primeiro passo para a guerra contra Roma.

Após a vitória romana, Aníbal empreendeu a reorganização do governo corrupto de sua pátria, mas os romanos, temerosos de sua persistente hostilidade, exigiram a sua entrega, e Aníbal refugiou-se na corte de Antíocos da Síria (em 195 a.C.). Lá ele encorajou o rei a hostilizar os romanos.

Depois que Antíocos foi derrotado em Magnésia (190 a.C.), Aníbal fugiu primeiro para Creta, e depois para a corte de Prusias, rei da Bitínia. Lá, os romanos perseguiram-no vingativamente até sua velhice, "como a um pássaro que tivesse perdido sua cauda e suas penas", segundo Plutarco, e exigiram sua entrega.

Para escapar à humilhação de ser preso pelos romanos, Aníbal envenenou-se.

Existe uma "Vida de Aníbal" escrita por Cornélio Nepos.
 

Dicionário Oxford de Literatura Clássica (grega e latina), Paul Harvey, Jorge Zahar Editor