Topo

Biografias

Gore Vidal Escritor norte-americano

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

21/08/2005 11h40

Gore Vidal, ou Eugene Luther Vidal, nasceu na Academia Militar de West Point, no estado de Nova York e foi criado em Washington, D.C. Seu pai, um pioneiro da aviação, trabalhou para o governo Roosevelt e seu avô foi senador.

Começou a escrever contos e poemas ainda na adolescência. Em 1943, aos 18 anos, se alistou no exercito, onde permaneceu até 1946. A bordo de um navio, durante a Segunda Guerra Mundial, redigiu seu primeiro romance, "Williwaw", baseado em suas experiências militares. Entre 1947 e 1949, viveu na cidade de Antigua, na Guatemala, onde escreveu "Em um bosque amarelo", sobre as dificuldades de um ex-combatente em adaptar-se à vida civil, e "A cidade e o pilar", que incomodou o público conservador com seu caráter homossexual.

Nos anos 50 lançou "À procura de um rei", "O julgamento de Páris" e "Messias". Foi então que se dedicou a criar roteiros para televisão e cinema, além de peças de teatro.

Gore Vidal sempre foi ativo na política. Em 1960 chegou a concorrer, sem sucesso, ao Congresso americano como candidato democrata em Nova York. Porta voz dos direitos civis e das minorias, defendia a "consciência crítica" diante do imperialismo.

Nos anos 60 e 70 viveu na costa amalfitana, na Itália, e apareceu como ele mesmo em "Roma" de Fellini (1972). Em 1964 reiniciou sua carreira literária com a biografia do imperador romano "Juliano".Com o pseudônimo de Edgar Box, Gore Vidal escreveu uma série de histórias de detetive.

"A Era Dourada: Narrativas do Império", encerrou a série de sete romances históricos que pretenderam ser uma biografia dos Estados Unidos. Os volumes são "Washington", "Burr", "Lincoln", "1876", "Império" e "Hollywood".