Topo

Biografias

João Moreira Salles Cineasta brasileiro

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

13/09/2007 07h56

Filho de uma família tradicional, João Moreira Salles iniciou sua carreira incentivado pelo irmão, o também cineasta Walter Salles.

Em 1985, fez o roteiro para a série "Japão, uma Viagem no Tempo", exibida na extinta TV Manchete. Em 1987, os dois irmãos fundaram a produtora VideoFilmes, inicialmente voltada para a realização de documentários para a televisão. No mesmo ano, João Moreira Salles dirigiu "China, o Império do Centro" e fez o roteiro do documentário "Krajcberg, o Poeta dos Vestígios", pelo qual recebeu prêmios na Itália, em Cuba e no Brasil.

Dois anos depois, João Moreira dirigiu os documentários "América" e "Poesia é uma ou duas Linhas e por trás uma Imensa Paisagem" sobre a poeta Ana Cristina César.
Em 1990, dirigiu o especial "Blues", co-produzido pela rede Manchete e premiado em Paris.

João Moreira Salles dedicou-se à publicidade entre 1991 e 1996. Em 1998, lançou a série de programas "Futebol", co-dirigida por Arthur Fontes. No ano seguinte, com Kátia Lund, dirigiu "Notícias de uma Guerra Particular", um documentário sobre a população, a polícia e o tráfico de drogas no Rio de Janeiro.

Em 2000, coordenou a série "Seis Histórias Brasileiras", dirigindo com Marcos Sá Corrêa dois episódios: "O Vale" e "Santa Cruz".

Na Videofilmes produziu "Lavoura Arcaica", de Luiz Fernando Carvalho, "Madame Satã", de Karim Ainouz, "Babilônia" e "Edifício Máster", de Eduardo Coutinho, entre tantos outros filmes.

Em 2002, João lançou o documentário "Nelson Freire", sobre a carreira do prestigiado pianista brasileiro.

Durante a campanha presidencial, em 2002, João Moreira Salles filmou os bastidores da campanha política do então candidato Luiz Inácio Lula da Silva, criando o documentário "Entreatos", que foi lançado em 2004.

Em 2007 lançou "Santiago", um documentário sobre um antigo mordomo da família Moreira Salles.

Além de cineasta, João Moreira Salles também atua no jornalismo. Em 2006 criou a revista literária "Piauí", segundo ele, "para contar boas histórias com humor".