UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

Biografias

Raul Brandão
Escritor português
2-3-1867, Foz do Douro, Porto
5-12-1930, Nespereira, Guimarães

Do Klick Educação

Freqüentou no Porto o Curso Superior de Letras e matriculou-se depois na Escola do Exército para satisfazer a mãe. Enrtou para a ativa militar em 1888. Promovido a alferes em 1896, foi reformado no posto de major, em 1912. Como alferes, foi a Lisboa, onde se dedicou ao jornalismo. Colaborou na Revista de Portugal, no Correio da Manhã, na Revista de Hoje, da qual foi co-diretor (1894-1896), e em A Arte, sendo chefe de redação dos jornais O Dia e A República. Estreou na literatura com os contos naturalistas Impressões e Viagens (1890). A influência do grupo do Porto de boêmios nefelibatas, entusiastas do simbolismo decadente, nota-se ainda na História dum Palhaço (1896). A partir de 1903 mudou-se para a Casa do Alto, nos arredores de Guimarães. Publicou contos, livros de viagens, peças de teatro, memórias e estudos históricos. Sua prosa, simples e tensa, tem forte dramaticidade e visível idealismo no lírico anarquismo niilista. Neto de um pescador, seus textos resumem simpatia e angústia ao evocarem as desgraças dos humilhados e ofendidos, sob influência direta da leitura de Dostoievski, sendo nesse aspecto um caso ímpar na prosa portuguesa. Entre suas obras, estão: Os Pobres (1906), Húmus (1917), Memórias (1919, 1925, 1933), em três volumes, as peças de teatro O Gebo e a Sombra (1923) e O Doido e a Morte (1923), Pescadores (1923) e O Pobre de Pedir (1931).
Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Lição de Casa Dicionários

    Aulete

    Português

    Houaiss

    Português

    Michaelis


    Tradutor Babylon


    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host