Topo

Biografias


Martins Fontes Poeta brasileiro

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

29/09/2009 21h28

José Martins Fontes foi alfabetizado pela mãe. Depois de cursar o secundário em Jacareí (SP), estudou medicina no Rio de Janeiro, quando começa a militar na imprensa: trabalhou na Gazeta de Notícias, em O País, na revista A Careta, etc.

Formado médico, trabalha no Hospital dos Alienados, no Rio de Janeiro. Em 1908, participou da Comissão de Obras do Acre - e publicou um estudo sobre a higiene rural daquele território. Em 1910, foi nomeado chefe da Assistência Escolar da Prefeitura do Rio de Janeiro.

Em 1915, voltou a viver em Santos, sua cidade natal, onde se dedicou à medicina e à literatura. Em 1930 foi eleito sócio-correspondente da Academia de Ciências de Lisboa.
 

Exuberância e positivismo

Segundo Péricles Eugênio da Silva Ramos, Martins Fontes "escapou à condição de caudatário do Parnasianismo [...]. Voz tropical, vibrante, e a seu modo libertária, não poderiam contê-la, também, os murmúrios do Simbolismo claustral e de má aclimação no Brasil. No anseio de conquistar uma expressão pessoal, e de inovar, cultivou as mais variadas formas e inventou grande cópia de palavras".

Os primeiros versos de Martins Fontes revelam uma poesia exuberante, cheia de vontade de viver, enquanto os da última fase são inspirados pela filosofia positivista.
 

Pequeno Dicionário de Literatura Brasileira; Enciclopédia Mirador Internacional