UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA

PORTUGUÊS > DICAS DE PORTUGUÊS

Tons pastel

Por Thaís Nicoleti

“Izabela Dinelli, arquiteta e designer de Interiores, criou o Quarto da Princesinha. Ela usou piso de PVC, tons pastéis, tecidos leves e flores de resina na decoração.”

A dúvida é das mais frequentes: como pluralizar a expressão “tom pastel”? Muito bem, a regra que se aplica a esse caso é a das cores: substantivos que designam cores permanecem invariáveis.

Embora o princípio seja simples, nem sempre é clara para os usuários da língua a classe gramatical a que pertence uma palavra. Vamos, portanto, tentar esclarecer de antemão que os nomes das cores são, em geral, adjetivos: verde, azul, vermelho, amarelo, preto, branco, cinzento, roxo. Todos esses flexionam-se normalmente, de acordo com o gênero e o número do substantivo a que se referem. Assim: olhos  verdes, olhos azuis, camisas vermelhas, blusas amarelas, cabelos pretos, colchas brancas, tapetes cinzentos, poltronas roxas etc.

Quando, entretanto, nomes de flores, de frutas, de pedras preciosas ou quaisquer outros que sejam originalmente nomes de coisas (substantivos) designam cores, não há flexão. Assim: camisas rosa (ou cor-de-rosa), vestidos violeta (ou seja, da cor da violeta, que é uma flor), fitas laranja (ou seja, da cor da laranja, que é uma fruta), tecidos turquesa (isto é, da cor da turquesa, que é uma pedra), ternos cinza (isto é, da cor da cinza) e assim por diante.

Observe que é esse princípio que subjaz às grafias “raios ultravioleta” (sem plural) e “raios infravermelhos” (pluralizados normalmente).

Pode-se considerar um caso especial o da cor lilás. Vamos entender por quê. Trata-se do aportuguesamento do nome (francês) de uma planta cujas flores têm tom roxo-claro. Como em francês o nome é “lilas” (sem acento), mas se pronuncia “lilá”, querem os gramáticos puristas a grafia “lilá”, fiel à pronúncia francesa. Embora seja registrada no português, a grafia “lilá” é menos comum que a grafia “lilás”, bem mais disseminada. Conquanto se trate de nome de uma flor, mesmo como adjetivo, registra-se o seu plural em construções como “tons lilases” (ou tons lilás).

Quando a cor é representada por um adjetivo composto, flexiona-se apenas o último elemento, desde que este não seja um substantivo. Assim: olhos verde-claros, camisas azul-claras, mas lenços azul-piscina (agora invariável, pois o segundo elemento é um substantivo).

É bom lembrar que “azul-marinho” e “azul-celeste” são exceções à regra geral. Na condição de adjetivos, são invariáveis. Assim: saias azul-marinho, camisas azul-celeste.

Na expressão “tom pastel”, o segundo elemento (pastel) refere-se a um tipo de lápis de cor. Como se trata de um substantivo que indica cor, não ocorre a flexão.

Veja, abaixo, o texto corrigido:

Izabela Dinelli, arquiteta e designer de Interiores, criou o Quarto da Princesinha. Ela usou piso de PVC, tons pastel, tecidos leves e flores de resina na decoração.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Compartilhe:

    Receba notícias

    Pegadinha Gramatical Dicionários

    Michaelis


    Tradutor Babylon


    Banco de Redações

    Redações avaliadas por uma equipe especializada em correção de prova de vestibular e Enem

    Revisão Testes e Simulados Revistas e Sites

    Shopping UOL

    Hospedagem: UOL Host