História geral

ETA: Grupo separatista luta pela independência do País Basco

Da Redação, Em São Paulo

O ETA (Pátria Basca e Liberdade) foi criado em 1959 com o objetivo de tornar a região basca (norte da Espanha e sudoeste da França) um Estado independente. O movimento de guerrilha tem o apoio do partido Herri Batasuna, o segundo maior da região basca, e representantes no parlamento.

Em 1961, militantes do ETA tentaram descarrilhar um trem que levava políticos espanhóis. O primeiro atentado que teve a autoria atribuída ao ETA aconteceu em 1968, quando Meltin Manzanas, chefe da polícia de San Sebástian, foi assassinado. Durante o período da ditadura de Francisco Franco, a organização ganhou popularidade devido ao grande número de atentados cometidos no país, com 118 mortes.

O governo espanhol fez uma dura campanha para desmantelar a organização, mas o movimento resistiu. Em 1997, sob o governo do Partido Popular, o ETA apresentou uma proposta de independência ao parlamento. A iniciativa foi rejeitada.

Por ter assumido a responsabilidade pela morte de mais de 800 pessoas em seus 35 anos de existência, o governo espanhol suspeitou primeiramente do grupo quando estudou a autoria do atentado de 11 de março de 2004, que matou 200 pessoas e deixou mais de 1.500 feridos ém Madrid. O atentado foi orquestrado, na verdade, por outro grupo terrorista, a Al Qaeda.



UOL Cursos Online

Todos os cursos