Enem

Sobram mais de 7.000 vagas em universidades públicas após Sisu, mostra balanço do MEC

Da Redação
Em São Paulo

Atualizada em 18 de março, às 10h58

A primeira edição do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) do MEC (Ministério da Educação) terminou com mais de 7.000 vagas sem preenchimento. De acordo com o balanço da pasta, 15% das 47,9 mil vagas ofertadas não receberam candidatos.


Segundo o MEC, o processo contou com aproximadamente 800 mil vestibulandos inscritos - entre os 2,5 milhões de estudantes que prestaram o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2009, pré-requisito para participar da seleção.

O balanço preliminar indica que 40.789 estudantes foram matriculados nas instituições participantes do processo. As universidades informarão o número total de ingressantes até a meia-noite desta quarta-feira (17).

De acordo com o balanço, as 7.000 vagas ainda não ocupadas se referem majoritariamente às destinadas às cotas ou ao preenchimento no segundo semestre. Essas vagas serão ocupadas em processos seletivos próprios, definidos pelas instituições de ensino para vagas remanescentes.

Parte das universidades e institutos federais continuarão a convocar os candidatos a partir da lista de espera do Sisu, que conta com 136 mil candidatos confirmados. Os interessados devem consultar as universidades em que se inscreveram.

Mobilidade

Estudo preliminar sobre as matrículas realizadas apontam para uma tendência de crescimento da mobilidade acadêmica, diz o MEC. Até o final da terceira etapa, quando 33.039 estudantes haviam se matriculado, 8.353 optaram por estudar fora de seu Estado de origem, o que representa uma taxa de mobilidade de 25%. Anteriormente, esse percentual era de, aproximadamente, 1%.

Para garantir receber os alunos de outros Estados, as instituições de ensino receberão verbas do Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES). O orçamento destinado à área passou de R$ 126 milhões, em 2008, para R$ 300 milhões, em 2010.

Participaram da primeira edição do Sisu 51 instituições, sendo 23 universidades federais e 26 institutos federais. Além das instituições federais, a Uenf (Universidade Estadual do Norte Fluminense) e a Ence (Escola Nacional de Ciências Estatísticas) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) também compuseram o sistema.

Aumento de vagas ociosas

No último Censo da Educação Superior, divulgado em novembro de 2009, houve aumento do número de vagas ociosas nas instituições federais de ensino superior.

Se as 7.000 vagas não forem preenchidas de algum modo pelas universidades, elas vão colaborar para o aumento desta grave estatística. Isso porque as vagas públicas são financiadas com dinheiro público e devem retornar para a sociedade profissionais bem formados.

Em 2007, a taxa de vagas não ocupadas nos vestibulares das federais era de 2,19% - a proporção subiu para a 4,36%, em 2008. Foram 7.387 vagas não preenchidas nos vestibulares das federais em 2008, de acordo com o censo.

Leia mais
MEC altera resultado da lista de espera do Sisu; vestibulandos se dizem prejudicados
Sisu do meio do ano deve ocorrer em maio, diz MEC
Ministro da Educação descarta realizar duas provas do Enem em 2010
Federais planejam criação de método para avaliar Enem
Sisu encerra inscrição sob ameaça de sobra de vaga em curso top
MEC cogita mudanças no Sisu, após desistência de aprovados
Nota mínima de certificação para o ensino médio pelo Enem 2009 é 400
MEC regulamenta sistema de vagas em instituições federais
Veja fotos dos candidatos do Enem 2009

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos