PUBLICIDADE
Topo

Com greve da USP, estudantes buscam alternativas ao bandejão

Ana Okada

Em São Paulo

07/05/2010 14h18Atualizada em 07/05/2010 14h35

Com a greve de funcionários da USP (Universidade de São Paulo), iniciada anteontem (5), os alunos estão buscando alternativas ao costumeiro almoço no bandejão. Bruno Lunguinho, 18, e Wendel Alves Santos, 18, ambos estudantes de ciências sociais, acharam uma opção com preço igual, porém de tamanho reduzido: nesta quinta (5), eles almoçaram pão na chapa e suco de uva a R$ 2.

Leandro Moraes/UOL
Na USP, estudantes trocam bandejão por pão na chapa

E sustenta? "Vamos ver até quando dá", diz Bruno. Na quarta, eles fizeram um almoço coletivo: Bruno comprou pão e outros colegas trouxeram mortadela. Os dois residem na moradia estudantil da universidade e faziam as três refeições no restaurante universitário. Os dois concordam com o movimento. "A greve é um direito do trabalhador, mas ela tem que dar espaço ao diálogo... se o reitor não quer dialogar, acaba sendo justo [ter greve]", opina Wendel.

Já os estudantes de meteorologia Daniel Faria, 24, Bruno Cestaro, 25, e Juarez Quezada, 24, foram ao restaurante da Escola Politécnica, onde o prato feito custa R$ 10. "Viemos aqui porque é mais barato. Agora, num dia, a gente paga o que gastava numa semana", dizem os estudantes, que não concordam com o protesto: "Todo ano eles fazem greve, acaba perdendo o sentido, há outras maneiras de dialogar".

Na FEA (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade), os serviços e as aulas estão normais. As estudantes Adriane Faria, 18, e Taís dos Santos, 18, também reclamam da falta do restaurante universitário: "Achamos lugares novos para comer. São melhores, mas nem tão baratos", observam.

Na FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas), os calouros Gabriel Bichir, 18, Augusto Piazza, 18 e Gustavo Jeronimo, 17, organizaram a reunião de trabalho fora da biblioteca da unidade, que está fechada por conta da greve. "Para quem usa a biblioteca [a greve] é ruim, mas para os funcionários é justa", opinam os estudantes.

Nesta sexta, os alunos da USP (Universidade de São Paulo) marcaram para as 17h30 um ato em apoio ao direito de greve dos funcionários da instituição. Os estudantes planejam se reunir na avenida Paulista, em frente ao prédio da Gazeta (nº 900 ) e ir, em passeata, até o prédio do Masp (Museu de Arte de São Paulo).