PUBLICIDADE
Topo

Educação

Vestibular


Candidato e seguranças trocam socos antes de prova do Enem em Belo Horizonte

Rayder Bragon<br>Especial para o UOL Educação

Em Belo Horizonte

06/11/2010 14h25Atualizada em 06/11/2010 20h29

Um candidato que iria fazer prova do Enem em unidade do Centro Universitário Newton Paiva, em Belo Horizonte, trocou socos e empurrões com seguranças que trabalhavam para a organizadora da prova na unidade educacional antes do início da prova deste sábado (6).

  • Rayder Bragon/UOL

    Candidato é imobilizado por seguranças em BH


Segundo Willian Alves Barbosa, que registrou boletim de ocorrência após a Polícia Militar ser acionada, ele estava tentando ajudar a amiga Keyla Priscila de Souza, 22 anos, grávida de 8 meses, que não conseguiu entrar no local para fazer a prova. O centro fica localizado na avenida Silva Lobo, 1.730, no bairro Nova Granada, região Oeste da capital mineira. Ao menos cinco seguranças dominaram o rapaz até a chegada da polícia.

“Não quiseram abrir o portão para eu ajudar a minha amiga a entrar. Eles alegaram que ela chegou atrasada, mas ela chegou no mesmo horário que eu”, disse o rapaz, que estava bastante alterado e tentou acertar um dos seguranças com guarda-chuva que portava.

Ele mostrou o cartão de inscrição para o Enem à reportagem do UOL Educação.  Segundo o endereço do documento, ele deveria prestar o exame em unidade que pertence ao Centro Universitário Newton Paiva. Porém, a unidade educacional onde ele faria a prova fica em frente ao local onde ele estava, na rua Marechal Foch.

Testemunhas disseram à reportagem do UOL Educação que houve ação exagerada dos seguranças e que um deles chegou a afirmar que o rapaz estava drogado. A segurança é responsabilidade dos aplicadores do exame.

 


Por sua vez, Keyla Souza ficou muito nervosa e culpou o mau tempo e trânsito “caótico” para justificar seu atraso. Ela chorou por várias vezes na porta do local, mas não conseguiu entrar para fazer a prova.

“O trânsito estava horrível. Eu saí com duas horas de antecedência de casa, mas mesmo assim, não deu tempo de chegar mais cedo. Não há Justiça nesse país para os pobres”, desabafou a moça.

A coordenação do local informou que não é funcionário da instituição. A assessoria de imprensa do Centro Universitário Newton Paiva afirma que a segurança é de responsabilidade da organização do exame.

Vestibular