PUBLICIDADE
Topo

Vestibular

''Minha filha foi orientada a escrever todos os problemas que encontrasse na prova'', conta mãe de candidata do Enem

Suellen Smosinski

Em São Paulo

08/11/2010 16h29

Fabiana Fernandes, 42, considera que sua filha foi “premiada com a prova amarela, com vários problemas”. Laura Fernandes Chagas, 17, fez as provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2010 na reitoria da UFPR, em Curitiba.

“Minha filha foi orientada a escrever todos os problemas que encontrasse no verso do cartão resposta. Isso já seria um absurdo, eles vão para a prova e têm que corrigir os erros da prova? Para isso, eles dariam tempo a mais, o que foi negado posteriormente”, conta Fabiana. No primeiro dia do exame, foi identificado um erro de impressão em alguns cadernos de prova amarelo que continham perguntas repetidas e outras faltando.

 

 

“Na minha sala havia quatro pessoas nessa situação. Fiz a prova inteira com o caderno errado. Ninguém falou em trocar por um certo. O primeiro erro apareceu na questão 20, então atrapalhou muito meu desempenho, fiquei nervosa o resto da prova”, complementa Laura.

A falta de consistência nas orientações, segundo Fabiana, atrapalhou mais ainda os candidatos: “Não creio que só minha filha tenha sido prejudicada. Alunos que tinham provas amarelas sem problemas foram informados dos erros e ficaram procurando durante o período de provas. Sem contar os inúmeros avisos que foram dados em sala de aula. Como concentrar-se num ambiente assim?”, questiona Fabiana, a partir do relato feito pela filha.

No Espírito Santo, a estudante Daniella Gambert, 17, também teve problemas com o caderno amarelo. “Como já havia marcado a cor do caderno no gabarito e as demais provas amarelas de minha sala possuíam defeitos iguais, tudo ficou como estava”.

No sábado (6), a estudante Nohara Matos, 20, que mora em Palmas (TO), relatou ao UOL Educação os erros encontrados no caderno amarelo. Nesse caso, a solução dada pelos fiscais foi trocar o caderno de prova com defeito com outro caderno amarelo que havia de reserva.

Entenda o caso

Estudantes identificaram problemas nos cadernos de provas e nos gabaritos do Enem, que foi aplicado nos dias 6 e 7 de novembro. Nos cadernos amarelos, havia questões repetidas e faltantes. Já nas folhas de resposta, os cabeçalhos dos testes de ciências da natureza e ciências humanas vieram trocados.

Vestibular