PUBLICIDADE
Topo

Vestibular

Haddad anuncia que número de alunos afetados com falha no Enem é "menor a cada dia"

Camila Campanerut

Em Brasília

09/11/2010 13h48

O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou nesta terça-feira (9) que o número de alunos afetados com falha no caderno amarelo é "menor a cada dia". Segundo ele, conforme a apuração feita pelo Inep avança, a estimativa é de que o número esteja bem abaixo dos 2.000 alunos inicialmente estimados. 

“Já não são dois mil, a cada dia este numero cai. Há 12 acasos em Sergipe, alguns poucos casos no Paraná, sobretudo em Curitiba”, disse o ministro após reunião com o presidente nacional da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ophir Cavalcante.

Haddad informou que o MEC já entrou por meio da AGU (Advocacia Geral da União) com uma ação solicitando à juíza federal do Ceará, Carla Miranda  Maia, que liberasse a divulgação do gabarito, previsto para às 18h de hoje.

A expectativa do ministro é que a juíza se posicione até o fim da tarde sobre o pedido. Caso não a juíza não aceite, o ministro avisa: “o Plano B é o recurso. Tem o C e o D. É uma decisão de primeira instância”.

Reunião com OAB

O presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, que, a princípio, defendia a anulação da prova, mostrou estar convencido do contrário, uma vez comprovado que uma segunda prova não feriria a “igualdade de oportunidade”. “Não estamos aqui para crucificar o MEC, o Inep nem os alunos. É preciso que seja resguardado o principio da igualdade”, afirmou Cavalcante.

 “Não tenho duvida de que erros acontecem. Isso se repetiu algumas vezes. Mas há de se avançar sempre. Há de haver um maior rigor [na impressão], sem quebrar o sigilo, não se pode ter uma prova desta natureza e ter essa primariedade [de erro]”, avaliou Cavalcante.

À disposição

Questionado se aceitará o convite da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado para explicar as falhas da edição deste ano do Enem, Haddad não deixou dúvidas: “deixei a semana que vem inteira à disposição dos senadores”. 

Vestibular