Topo

Vestibular

MEC divulga notas do Enem 2010; consulte

Da Redação

Em São Paulo

13/01/2011 22h06Atualizada em 14/09/2011 09h31

As notas dos estudantes que fizeram o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2010 já podem ser consultadas; confira:

 

A divulgação das notas estava prevista para a sexta-feira (14), mas foi adiantada.

A escala de notas vai de 0 a 1.000. Ao contrário de avaliações tradicionais, o Enem usa a TRI (Teoria de Resposta ao Item). Quanto mais perto sua nota estiver do zero, pior; quanto mais perto do 1.000, melhor.

Com o resultado, será possível realizar inscrição no Sisu (Sistema de Seleção Unificada) do primeiro semestre de 2011. O sistema, que oferecerá 83.125 vagas em instituições públicas de ensino superior, abre inscrições na internet neste domingo (16). O prazo termina na terça-feira, 18 de janeiro.

Vagas

VEJA QUANTAS VAGAS SERÃO OFERECIDAS PELO SISU

A oferta de vagas representa aumento de 77% em relação à edição do primeiro semestre de 2010, quando foram ofertadas 47,9 mil. Já é possível consultá-las no http://sisu.mec.gov.br/.

As oportunidades estão distribuídas em 83 instituições, sendo 39 universidades federais, 36 institutos federais, dois centros federais de educação, 5 universidades estaduais e a Ence (Escola Nacional de Ciências Estatísticas), ligada ao IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Como funciona o Sisu

As regras para o processo do primeiro semestre de 2011 serão as mesmas aplicadas na última seleção, no segundo semestre de 2010. Haverá uma etapa de inscrição, em que o candidato poderá optar por duas graduações, de acordo com sua ordem de preferência.

Durante o período de inscrições será possível alterar a inscrição, com base na nota de corte divulgada ao fim de cada dia. Cada alteração invalidará a opção feita anteriormente. As inscrições ocorrem no http://sisu.mec.gov.br/, das 6h às 23h59 (horário de Brasília (DF)), de 16 a 18 de janeiro.

Ao final das inscrições, serão realizadas três chamadas e, em cada uma delas, o candidato terá um prazo para efetuar a matrícula na instituição em que foi selecionado. Os selecionados na primeira opção não serão convocados nas chamadas posteriores – nem mesmo aqueles que não fizeram a matrícula.

Ao final das três chamadas, caso ainda haja vagas, as instituições convocarão os candidatos a partir da lista de espera gerada pelo sistema.

Cronograma

  • 16 a 18 de janeiro: inscrições pelo http://sisu.mec.gov.br/;
  • 22 de janeiro: primeira chamada;
  • 25, 26 e 27 de janeiro: matrícula da 1ª chamada;
  • 1º de fevereiro: segunda chamada;
  • 3 e 4 de fevereiro: matrícula da 2ª chamada;
  • 10 de fevereiro: terceira chamada;
  • 11 e 14 de fevereiro: matrícula da 2ª chamada;
  • 11 a 15 de fevereiro: confirmação de interesse na lista de espera (somente para quem não foi selecionado);
  • 18 de fevereiro: início do prazo que as instituições têm para convocar candidatos a vagas remanescentes (o estudante deve obter informações com a faculdade em que pretende estudar sobre como será feita a divulgação).

Outras informações podem ser obtidas no edital do Sisu, na central de atendimento do MEC (0800 616161) ou no site do ministério.

 

Instituições participantes

Universidades Federais
Fundação Universidade Federal De Ciências Da Saúde De Porto Alegre – 408;
Fundação Universidade Federal De Viçosa – 636;
Fundação Universidade Federal Do ABC – 1.700;
Fundação Universidade Federal Do Pampa – 2.725;
Fundação Universidade Federal Do Tocantins – 402;
Fundação Universidade Federal Do Vale Do São Francisco – 1.330;
Universidade Federal Da Paraíba – 809;
Universidade Federal De Alfenas – 1.037;
Universidade Federal De Goiás – 206;
Universidade Federal De Itajubá – 990;
Universidade Federal De Juiz De Fora – 176;
Universidade Federal De Lavras – 591;
Universidade Federal De Mato Grosso – 5.168;
Universidade Federal De Mato Grosso Do Sul – 3.920;
Universidade Federal De Ouro Preto – 1.218;
Universidade Federal De Pelotas – 3.076;
Universidade Federal De Pernambuco – 25;
Universidade Federal De Roraima – 202;
Universidade Federal De São Carlos – 2.553;
Universidade Federal De São João Del Rei – 166;
Universidade Federal De São Paulo – 2.041;
Universidade Federal De Uberlândia – 312;
Universidade Federal Do Acre – 70;
Universidade Federal Do Amazonas – 1.864;
Universidade Federal Do Ceará – 5.724;
Universidade Federal Do Estado Do Rio De Janeiro – 1.195;
Universidade Federal Do Maranhão – 1.918;
Universidade Federal Do Paraná – 524;
Universidade Federal Do Piauí – 2.893;
Universidade Federal Do Recôncavo Da Bahia – 1.320;
Universidade Federal Do Rio De Janeiro – 4.925;
Universidade Federal Do Rio Grande – 2.439;
Universidade Federal Do Rio Grande Do Norte – 245;
Universidade Federal Dos Vales Do Jequitinhonha E Mucuri – 691;
Universidade Federal Fluminense – 863;
Universidade Federal Rural De Pernambuco – 1.639;
Universidade Federal Rural Do Rio De Janeiro – 1.910;
Universidade Federal Rural Do Semi-Árido – 1.015;
Universidade Tecnológica Federal Do Paraná – 3.150.

Institutos Federais
Centro Federal De Educação Tecnológica Celso Suckow Da Fonseca – 602;
Centro Federal De Educação Tecnológica De Minas Gerais – 75;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Baiano – 390;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Catarinense – 870;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Da Bahia – 547;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Da Paraíba – 930;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia De Alagoas – 311;
Instituto Federal De Educação, Ciencia E Tecnologia De Brasilia – 10;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia De Goiás – 160;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia De Pernambuco – 310;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia De Rondônia – 3;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia De Roraima – 210;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia De Santa Catarina – 494;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia De São Paulo – 900;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia De Sergipe – 310;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Acre – 150;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Amapá – 160;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Amazonas – 160;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Ceará – 1.750;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Espírito Santo – 766;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Maranhão – 1.110;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Norte De Minas Gerais – 345;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Pará – 695;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Paraná – 220;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Piauí – 1.070;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Rio De Janeiro – 960;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Rio Grande Do Norte – 350;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Rio Grande Do Sul – 560;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Sertão Pernambucano – 549;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Sudeste De Minas Gerais – 374;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Sul De Minas Gerais – 285;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Tocantins – 289;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Do Triângulo Mineiro – 44;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Farroupilha – 183;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Fluminense – 200;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Goiano – 307;
Instituto Federal De Educação, Ciência E Tecnologia Sul-Rio-Grandense – 150;
Instituto Federal De Mato Grosso Do Sul – 80.

Universidades Estaduais
Universidade Do Estado Da Bahia – 532;
Universidade Estadual De Mato Grosso Do Sul – 2.350;
Universidade Estadual Do Norte Fluminense Darcy Ribeiro – 526;
Universidade Estadual Do Rio Grande Do Sul – 422;
Centro Universitário Estadual Da Zona Oeste – 220;
Escola Nacional De Ciências Estatísticas – 120.

Outras informações podem ser obtidas no site do MEC.
 

Polêmica no exame

Após os problemas ocorridos na aplicação do Enem, feita em 6 e 7 de novembro de 2010, o MEC aplicou uma nova edição do primeiro dia do exame apenas para os estudantes prejudicados.

O exame também enfrenta ação na Justiça impetrada pelo MPF (Ministério Público Federal) do Ceará, que solicitou o cancelamento do exame. A DPU (Defensoria Pública da União) do Ceará se juntou ao MPF do Estado no pedido de anulação do Enem 2010.

Houve ainda uma tentativa de fraude em Juazeiro (BA). Duas pessoas foram indiciadas por violação de sigilo de um dos textos de apoio do tema de redação do exame. A pena para o crime pode chegar a seis anos de reclusão.

Mais Vestibular