Funcionárias são afastadas por cobrança irregular em escola de SP

José Bonato

Do UOL, em Ribeirão Preto (SP)

A diretora e a vice-diretora da Escola Estadual Capitão José Pinheiro de Lacerda, localizada em Franca (a 400 km de São Paulo), foram afastadas do cargo por 30 dias na última sexta-feira (6) por suspeita de realizar cobranças irregulares de alunos do ensino fundamental. As cobranças eram praticadas, segundo pais das crianças, desde o início deste ano.

A escola, de acordo com a denúncia, exigia uma contribuição bimestral de R$ 2 para a realização de provas, R$ 17 por apostilas e cobrou R$ 7 para levar alunos a uma peça de teatro, na semana passada, cujos ingressos custavam R$ 5. A diferença de valor será devolvida aos estudantes.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Educação, as denúncias são graves, e as profissionais podem ser advertidas, suspensas ou mesmo demitidas após o fim das investigações.

Silêncio

Enquanto durar a apuração, de 30 dias, as duas mulheres continuarão a trabalhar na rede de ensino como professoras, mas em outra unidade. Os nomes delas não foram revelados e, de acordo com a assessoria de imprensa, as duas preferem não se manifestar sobre o caso. 

Ambas foram ouvidas na semana passada por uma comissão de funcionários da DRE (Diretoria Regional de Ensino) e também se reuniram com pais e professores antes de serem afastadas das funções.

Nesta semana, será a vez da coordenadora pedagógica da escola, que também não foi identificada, depor sobre a denúncia.
De acordo com a assessoria de imprensa da secretaria, o Estado orienta professores e escolas a não praticarem qualquer tipo de cobrança de alunos.

A Secretaria de Estado da Educação não informou quantos alunos estudam na escola.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos