PUBLICIDADE
Topo

Vestibular

Bicho-papão do Enem, candidatos dizem que redação deve ser 'resolvida logo'

Maria Júlia Timmers diz que redação é o "terror" do Enem. "Requer atenção redobrada" - Flavio Ilha/UOL
Maria Júlia Timmers diz que redação é o 'terror' do Enem. "Requer atenção redobrada" Imagem: Flavio Ilha/UOL

Flávio Ilha

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

25/10/2015 14h57

Considerada o “bicho-papão” tanto de vestibulares quanto do Enem, a redação mobilizava as atenções da maioria dos candidatos a uma vaga no ensino superior antes do início das provas deste domingo do Enem 2015 (Exame Nacional do Ensino Médio).

A tática de boa parte dos estudantes é “resolver” a redação cedo para depois se dedicar às questões de matemática, português e língua estrangeira.

Mesmo quem é bom em matemática, como o estudante Guilherme Maltchik, 17, prefere fazer a redação primeiro. “É melhor para limpar a cabeça. Na minha opinião, fica mais fácil concentrar as questões objetivas na segunda metade da prova”, disse o estudante.

A candidata Maria Júlia Timmers, 17 anos, vai logo dizendo que a redação é o “terror” do Enem. “É a parte mais difícil porque requer atenção redobrada. Se bobear, se perde muito tempo e fica apertado responder às outras 90 questões”, avaliou.

A estudante Marília Mendonça também vai usar a tática de fazer primeiro a redação. “Não vejo muita diferença, mas sempre recomendam isso na escola e nos cursinhos, então vou fazer. Tenho pavor de redação”, relatou.

Logo depois que os portões se fecharam, o MEC (Ministério da Educação) anunciou o tema da redação deste ano: "A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira".

Vestibular