PUBLICIDADE
Topo

Educação

Enem


Brasil conquista ouro em Olimpíada Internacional Júnior de Ciências

Delegação brasileira na 16ª Olimpíada Internacional Júnior de Ciências, no Catar - Divulgação
Delegação brasileira na 16ª Olimpíada Internacional Júnior de Ciências, no Catar Imagem: Divulgação

Carolina Cunha

Especial para o UOL

12/12/2019 16h52

Estudantes brasileiros tiveram um ótimo desempenho na 16ª Olimpíada Internacional Júnior de Ciências (IJSO, na sigla em Inglês), disputada no Catar, nos dias 3 a 12 de dezembro. O Brasil saiu premiado pela conquista de duas medalhas de ouro e quatro de prata, deixando para trás gigantes como China, Holanda, Alemanha, Espanha, Portugal, França e Coreia.

A competição é conhecida como uma das mais importantes olimpíadas científicas do mundo e contou com a participação de cerca de 350 estudantes, de até 15 anos, representando 70 países.

A delegação brasileira foi composta por seis participantes da cidade de São Paulo (SP). Caio Augusto Siqueira, do Colégio Objetivo, conquistou medalha de ouro e obteve Melhor Nota da Equipe Brasileira. Vinicius Tanaka, do Colégio Etapa, também foi premiado com uma medalha de ouro.

Gustavo Baracat, Pedro Michaluat Pezato e Alícia Duarte Silva, todos do Objetivo, ganharam medalhas de prata. A outra medalha de prata foi conquistada por Lucas Takaysu, do Etapa.

Para chegar a esse resultado, o time brasileiro passou por três avaliações: uma composta por 30 testes (10 de Biologia, 10 de Física e 10 de Química), outra dissertativa e uma experimental, feita em dois grupos de três integrantes cada.

A prova Experimental, feita em laboratório, testou conhecimentos de Física, Química e Biologia e abordou como temas o tratamento e propriedades da água, assim como a dessalinização da água do mar.

Segundo Ronaldo Fogo, professor-orientador dos alunos do Colégio Objetivo, as provas foram interdisciplinares e exigiram dos alunos foco e um amplo conhecimento. "As provas são difíceis e requerem agilidade, além do domínio de Física, Química e Biologia, visto que o tempo para resolver as questões é pequeno se comparado ao nível de dificuldade. São muitas exigências. A IJSO é complexa, mas nosso País tem se destacado ano a ano, as conquistas são fantásticas."

O caminho para a internacional

Para chegar à Internacional, os alunos tiveram de testar os conhecimentos em Biologia, Física e Química em provas teóricas aplicadas nas escolas inscritas. Dessa fase inicial, saíram os classificados para competir na Olimpíada Brasileira de Ciências (OBC, antiga IJSO Brasil), ocorrida em setembro, na Universidade de São Paulo (SP).

Como a OBC é a competição que seleciona os estudantes para representar o País na Olimpíada Internacional Júnior de Ciências (IJSO), por este excelente desempenho, os alunos medalhistas de ouro, prata e bronze foram convocados para participar da seletiva.

Enem